Um é pouco, mas dois pode ser sensacional: conheça 20 duos que você deveria estar ouvindo agora

Um é pouco, mas dois pode ser sensacional: conheça 20 duos que você deveria estar ouvindo agora

20 de agosto de 2015 4 Por João Pedro Ramos

Desde que o White Stripes apareceu, o terceiro (e quarto, quinto, sexto) elemento em uma banda de rock foi jogado para o escanteio por diversas bandas. Afinal, o rock requer simplicidade, certo? E isso não significa ausência de baixo na mistura, taí o Royal Blood e os Black Keys que não nos deixam mentir.

Pois bem: nem só dessas bandas que lotam estádios que vive o mundo dos duos. Eles estão por todo o mundo e merecem ser ouvidos. Conheça 20 destas duplas que não deixam pedra sobre pedra. Afinal, três é demais:

Skating Polly

A dupla é formada por Kelli Mayo e Peyton Bighorse, duas meias-irmãs de Oklahoma que começaram a tocar em 2009, com 9 e 14 anos, respectivamente. Kelli e Peyton se revezam no vocal, bateria e guitarras. Vale a pena ouvir os gritos riot grrrl das meninas que deixam as garotas do L7 cheias de orgulho:

The Hunted Crows

O duo da Austrália conta com o baterista Jacob Linnett no vocal e o guitarrista Luy Amiel dando também aquela força nos backing vocals. “Sniff You Out” já nasceu clássica e não faria feio em nenhuma playlist de melhores músicas de 2014. O EP “Hunted Crows” de 2014 está disponível no Soundcloud e no Spotify. Recomendo muito:

Siamese Spots

A dupla formada em dezembro de 2014 por Sidney Chase e Tahlia Tinkham, o Siamese Spots está trabalhando em seu primeiro disco, que deve ser lançado ainda este ano. Pena que pelo clipe de “Biteback”, elas incorporaram um baterista contratado… Ainda assim: vamos considerar que é duo e pronto!

3ÉD+

O nome diz tudo, não? Formado por Dom Orione e Leandro Lima, o 3ÉD+ está na estrada desde 2005 e lançou no ano passado o EP “Meteóros no meu Sangue”, disponível no Soundcloud. Conversei com eles aqui no blog, também.

https://www.youtube.com/watch?v=xMzD4dbatnc

The Pack a.d.

O garage porradeiro de Becky Black (Guitarra e vocal) e Maya Miller (Bateria e backing vocal) é coisa de louco. A dupla de Vancouver já tem 5 discos na bagagem, sendo o mais recente “Do Not Engage”, de 2014:

Horror Deluxe

Um duo que começou como uma marca de roupas e acessórios. Prix e Ucra são devotos de São Lux Interior e Santa Poison Ivy e se baseiam em psychobilly, punk rock e garage para compor suas músicas cheias de filmes B e Ed Wood. Eles já falaram com o blog também.

Black Pistol Fire

Os canadenses Kevin McKeown (guitarra e vocal) e Eric Owen (bateria), do Black Pistol Fire, misturam southern rock e garage punk e fazem um som alto, agressivo e cheio de blues na mistura. Vale a pena ouvir o disco “Hush or Howl”, último lançamento do duo, de 2014.

Crushed Out

Rock & Roll, Surf, Proto-Punk, Country Blues. Franklin Russell Hoier (Guitarra e vocal) e Moselle Spiller (bateria e vocal) bebem de diversas fontes para criar a mistureba que é o som do Crushed Out. Cada música é uma aventura sonora diferente:

Hyena Kill

A especialidade de Steven Dobb (Vocal e Guitarra) e Lorna Blundell (bateria) é fazer rock barulhento em sem medo de estourar volume, tímpanos e pele da bateria. O duo de Manchester cita como influência coisas tão diferentes entre si quanto Helmet, Tori Amos, Smashing Pumpkins e Skunk Anansie. Conversamos com eles no começo deste ano.

Los Chicos Problema

Um duo do México que mostra que quando se tem um baixo cheio de fuzz, não precisa de guitarra pra criar um som bem fuderengo. Na ativa desde 2001, Ana (bateria e voz) e Geo (baixo e voz) tem dois discos no currículo (“Los Chicos Problema”, de 2012, e “Estremécete y Rueda”, de 2013), além da participação em diversas coletâneas. Já passaram pelo Brasil e falaram com a gente! \o/

Blood Red Shoes

Um dos melhores duos que ouvi nos últimos tempos. Os ingleses Laura-Mary Carter (vocal e guitarra) e Steven Ansell (vocal e bateria) começaram em 2004 e já lançaram quatro discos, sendo o último, “Blood Red Shoes”, de 2014. Recomendo todos!

FingerFingerrr

Flávio Juliano (baixo e vocal) e Ricardo Cifas (bateria e vocal) estão na estrada desde 2008, quando a banda ainda era um quarteto. São um duo faz mais ou menos um ano, e com esta formação lançaram o single “Buck You”. Entrevistamos a dupla aqui no blog em abril.

Prinzhorn Dance School

Desde 2007, o duo Tobin Prinz Suzi Horn se revezam entre baixo, guitarra e bateria no Prinzhorn Dance School. O nome da banda vem do médico Dr. Hans Prinzhorn, que colecionava obras de arte criadas por seus pacientes com deficiência mental. O som fica entre o pós-punk e o rock alternativo.

Donna Duo

Um dos destaques do Breakout Brasil na Sony foi o Donna Duo. Formada por Dani Zan e Naíra Debértolis, a dupla faz um “pop milongueiro” puxado para a MPB, com uma pitada de samba e rock. O primeiro disco das garotas sai ainda este ano. Dani e Naíra conversaram com o blog em junho.

Moriaty

O Moriaty é um duo de Devon que se inspira em Sherlock Holmes, serial killers e teoria de cordas para criar seu “filthy indie blues”. Matthew Partridge (bateria, vocais) e Jordan West (guitarra, vocais) mostram serviço e o som é nada menos que sensacional. Confira minha entrevista com eles aqui no blog.

The Courettes

Flávia Couri (guitarra e vocal) e Martin (bateria) agitam a cena rocker da Dinamarca com o projeto The Courettes. O primeiro disco da dupla “Here are The Courettes“! saiu este ano e está fazendo um grande sucesso por lá. Falei com Flávia sobre o projeto.

Hank & Cupcakes

A doideira pop provocadora de Hank & Cupcakes está rolando desde 2008. Os israelenses Sagit “Cupcakes” Shir (bateria, vocais, piano) e Ariel “Hank” Scherbacovsky (guitarra baixo) investem bastante em seus video clipes malucos e artísticos e prometeram disco novo em 2016 na entrevista que fiz com eles.

E aí, conhece algum outro duo que faltou na lista? Recomende suas duplas preferidas aqui nos comentários! (E, lógico, não precisam ser só de rock…)