Der Baum criam sua versão de “Mulher Nota Mil” no clipe de “Veronika Robótika”

Der Baum criam sua versão de “Mulher Nota Mil” no clipe de “Veronika Robótika”

22 de agosto de 2016 0 Por João Pedro Ramos

Formada no final de 2014, a Der Baum, de São Bernardo do Campo, não esconde suas influências oitentistas. O novo clipe para “Verônica Robótika”, faixa-título do mais recente EP do grupo, mostra bem isso: nele a banda representa sua própria versão do enredo do clássico da Sessão da Tarde “Mulher Nota Mil”, em que nerds conseguem criar uma mulher usando o computador. Mas no caso do Der Baum, a mulher virtual se revolta e não aceita ser comandada por seu criador.

Formada por Ian Veiga (teclados e voz), César Neves (bateria), Fernanda Gamarano (guitarra e voz), Lucas Lerina (baixo e voz) e Amanda Buttler (pads, percurssão e voz), a banda mistura new wave, post punk, shoegaze e indie rock. Eles já lançaram os EPs “The Architeture of the City” (2015), gravado em casa, no estudio do tecladista Ian – o estudio Intrínseco, “We Already Live in the Future”, (2015), gravado no Estúdio Costella e co-produzido por Chuck Hipolitho (Vespas Mandarinas) e “Verônika Robótika”, lançado em Outubro de 2015, gravado e co-produzido no Estúdio Costella também pelo ex-Forgotten Boys Chuck.

Em abril de 2016 a banda foi uma das oito bandas selecionadas para gravar um single que fez parte de uma coletânea especial da Levis em homenagem ao modelo de calça 501, ficando entre as mais votadas pelo publico junto com BBGG e Mais Valia. A Der Baum participou também da coletânea “O Pulso Ainda Pulsa”, um tributo em homenagem aos Titãs organizado pelos blogs Crush em Hi-Fi e Hits Perdidos. Agora a banda trabalha em seu primeiro álbum, previsto para 2017.

Conversei com Ian e Fernanda sobre a carreira da banda, o clipe de “Verônica Robótika”, o disco que vem por aí e a participação no tributo aos Titãs “O Pulso Ainda Pulsa” e no evento de lançamento, que rola no dia 28 (domingo):

– Como a banda começou?

Fernanda: A banda foi formada no fim de 2014 por mim e pelo Ian. Juntamos uns amigos de outras bandas pra fazer uma jam, vimos que rolou e continuamos ate hoje!

– E de onde surgiu o nome Der Baum? O que significa?

Fernanda: Der Baum significa ao pé da letra “o árvore” na língua alemã. Como o Ian morou um tempo em Berlim e sabe falar a língua (risos), pensamos q um nome em alemão seria diferente e mais interessante, pois em inglês é muito comum e também não queríamos em português, caçamos no dicionário alemão um nome que soasse legal em português e que não significasse algo sem sentindo para um alemão, aí vimos Der Baum, soou legal e decidimos que seria esse!

– Quais as principais influências musicais da banda?

Fernanda: Nós temos uma influencia muito forte dos anos 80. Misturamos muito new wave, post punk, pop, dance, indie e fazemos tudo isso virar a Der Baum (risos).

– Algum artista, disco ou banda inspira vocês? Cite algumas pra nós!

Fernanda: Muitas! Mas o que inspira quase 90% da banda é o David Bowie! Mas também tem muitas como The Cure, Depeche Mode, New Order, Smiths, Paws, Strokes, CSS, entre outras!

– Me fala um pouco do material que vocês lançaram até agora.

Fernanda: Temos na bagagem 3 EPs lançados! O primeiro EP, “The Architecture of the City”, foi totalmente gravado independente no nosso homestudio (no estúdio Intrínseco). Já o segundo, “We Already Live in the Future”, e o “Veronika Robótika”, foram gravados no Estudio Costella com o Chuck Hipolitho, cada um tem 3 sons, soando mais profissional do que o primeiro, mas sem fugir do do it yourself.

Der Baum

Der Baum

– E vocês acabaram de lançar o clipe da faixa-título do mais recente EP, né? Como foi a produção deste clipe? Qual é a ideia e a inspiração dele?

Ian: Toda produção foi conduzida pelos nossos parceiros do Coletivo Seis da Escola Técnica Roberto Marinho. O clipe foi desenvolvido em cima de referencias que passamos pra eles em reuniões de pré produção… Queríamos algo meio oitentista e eles vieram com a ideia do roteiro e animação. Eles fizeram uma pesquisa extensa assistiram muitos clipes e filmes no fim o clássico do cinema “Mulher Nota 1000” foi uma das maiores inspirações e o tema acabou focado um pouco no esteriótipos femininos de hoje em dia acompanhando o conteúdo do som em si.

– Vocês participaram do tributo aos Titãs “O Pulso Ainda Pulsa”. Como foi isso? Qual a relação da banda com o trabalho dos Titãs?

Ian: Eles sempre foram uma referência pra gente, principalmente a fase pós punk e new wave… E em geral pelas composições em português sempre foram uma referência. Por isso a gente topou na hora participar do Tributo. A gente logo atacou a musica e criamos a base em conjunto depois a batera foi gravada em parceria com a banda Abacates Valvulados no Rabbit Hole Estudio do Rafael Coelho. A gente queria que todos cantassem ja que todos são vocalistas na Der Baum. Foi complicado mas deu certo. A gente mixou e masterizou o som aqui no Studio Intrínseco.

Der Baum

Der Baum

– No Der Baum todos são vocalistas. Como vocês trabalham isso? Quem compõe faz o vocal? Como vocês dividem? Mesmo nos Titãs a gente sabe que rolavam algumas discussões…

Ian: Quanto a isso nunca rolou treta, na verdade a gente sempre tenta sentir qual das vozes encaixa com o tema, mas na maioria das vezes as vozes estão todas sempre presentes, em duos ou cantando coros intercalando com o vocal “principal” e não tem isso de meu ou seu som, a gente tenta envolver todos na composição justamente por isso.

– E alguns membros da banda vão participar da ~mega-banda~ no lançamento do “O Pulso Ainda Pulsa”, é isso? Como está rolando?

Fernanda: Sim! Participaremos eu e o Ian! Esta rolando legal com a galera! Acredito que vá ser uma grande festa!

Saiba mais e confirme presença no evento, que acontece dia 28 (domingo) aqui:

O Pulso Ainda Pulsa

– Vocês acham que a internet, com Youtube, streaming e etc, ajudaram ou atrapalharam as bandas independentes?

Ian: Acho que é uma ferramenta muito boa pra bandas independentes pois se a banda não tem contato com selo ou gravadora existe a opção de publicar com essas ferramentas, mas na minha opinião infelizmente a monetização não é justa e tudo se focou nessas redes e outras ferramentas estão quase esquecidas e vender merchan e lotar shows esta cada vez mais difícil. Acho que tudo esta interligado.

– Ou seja: agora a divulgação das bandas está mais “fácil”, mas existem menos conversão disso em pessoas que acabam indo aos shows. Mas será que isso tem a ver com a internet ou essa geração não está tão interessada em música fora do circuito mainstream como antigamente?

Ian: Acho q não esta fechado a esse público não, digo não é exclusivo da geração mais nova. Tem muita gente nova que pesquisa referências novas e antigas e muita gente mais velha que se fechou em casa também acho que o problema é generalizado e as pessoas estão se isolando em geral e esperando tudo acontecer em uma mini tela de led.

– Outra coisa que na teoria mudou, mas na prática nem tanto: o machismo continua forte no mundo da música? Como vocês veem isso?

Fernanda: Acho que sim, o machismo ainda existe porem hoje vejo muita mais minas nas bandas, fazendo festa incríveis de lotar e tudo mais. O que ainda falta é a visibilidade e reconhecimento por esse movimento de meninas nas bandas, às vezes ou quase sempre os caras pensam q mina em banda é só pra chamar atenção, mas não, não é… Mulheres também são talentosas e precisam ser mais valorizadas!

– Quais os próximos passos da Der Baum?

Ian: Estamos compondo novos sons para um projeto mais completo. Queremos evoluir nosso conceito para um álbum com mais músicas e estamos tendo o trabalho de fazer isso com muito carinho e detalhe. Será nossa apresentação ao publico nacional. E para esse álbum muitas parcerias massa estão sendo fechadas.

Fernanda: Estamos no momento compondo um álbum que vai conter pelo menos 10 músicas novas, estamos com menos shows por esse motivo, queremos nos focar mais no álbum, fazer ele bem produzido, em breve vamos lançar um crowdfounding.

– Recomendem bandas e artistas (de preferência independentes) que chamaram sua atenção nos últimos tempos e todo mundo deveria ouvir.

Ian: Kid Foguete, Aldo, Two Wolves, Napkin, Iluminight, S.E.T.I.