Da internet para os palcos: Chell é a prova que os tempos mudaram e as coisas acontecem primeiro na web

Da internet para os palcos: Chell é a prova que os tempos mudaram e as coisas acontecem primeiro na web

9 de maio de 2017 0 Por Gil Luiz Mendes

Reportagem Especial – Festival Bananada 2017, por Gil Luiz Mendes

foto: Gil Luiz Mendes

Sou de uma época que conheceu a internet no meio da adolescência. O contato com a música vinha um pouco antes desse período. Quem queria ter uma banda se virava como dava para aprender a tocar e depois juntava uns camaradas para ensaiar em qualquer garagem ou estúdio improvisado. Não precisa ser nenhum gênio para notar que os tempos mudaram.

Hoje se acessa a internet para depois ouvir música, ou se acessa a internet para ouvir música. E na rede também se aprende música e se aprende sobre música. Ela ainda pode ser usada para fazer música. Enfim, as possibilidades de coisas que se pode fazer juntando música e internet são infinitas e cada uma usa e tira proveito da maneira que mais lhe convir.

No caso da gaúcha residente em Goiânia Chell, a internet a levou à música. Aprendeu a tocara violão vendo cifras em sites e primeira vez que mostrou publicamente uma canção composta por ela foi no canal que mantém junto com a namorada para discutir assuntos do universo LGBT. São quase 100 mil inscritos e com a repercussão dessa audiência, ela viu que tinha espaço para se dedicar à música.

foto: Gil Luiz Mendes

Poucos meses depois de publicar o vídeo com sua música, entrou em estúdio e de lá saiu com cinco faixas que fazem parte do seu primeiro EP, lançado nas plataformas digitais em fevereiro desse ano. Com um pop/folk simples e direto, com letras minimalistas sobre o universo amoroso de alguém recém-chegado aos 20 anos, confessadamente influenciada por Mallu Magalhães, o som de Chell atinge em cheio o seu público da internet.

“Muita gente acha que todas as minhas músicas foram feitas para minha namorada, mas não é bem assim. Tem umas músicas meio triste que fala de alguém que foi abandonada e não tem nada a ver com a nossa história. São apenas coisas que eu imagino”, explica.

Mesmo tendo um público muito fiel na web, Chell ainda está começando nos palcos. O seu segundo show oficial ocorreu na primeira noite dos showcases do Festival Bananda. Mesmo em Goiânia, poucas pessoas conhecem seu trabalho, diferentemente do que acontece nas redes sociais. “Tenho um público bem maior fora de Goiás. Por isso nossa ideia é trabalhar bem esse EP em outras cidades antes de voltarmos para gravarmos o primeiro álbum”.