Cantarolando: Buzzcocks – “Everybody’s Happy Nowadays” (1979)

Cantarolando: Buzzcocks – “Everybody’s Happy Nowadays” (1979)

7 de fevereiro de 2017 0 Por Elisa Oieno

Cantarolando, por Elisa Oieno

Desde o final dos anos 70, a cidade de Manchester, Inglaterra, tem sido berço de bandas marcantes para o rock e pop mundiais. Já para o final da década de 1970 e começo dos anos 80, com a vibe decadente e influenciado pela grave crise pós-industrial e o desemprego de millhões de jovens, o punk e pós-punk emergem nas cenas musicais. Com isso, surgiram bandas emblemáticas com essa cara jovem e divertida, e sempre com alguma dose de melancolia e desespero. A cara da cena de Manchester são os Smiths, Joy Division (e depois o New Order), Stone Roses, The Fall… só para citar alguns.

O Buzzcocks surge nesse contexto, mas nasceram mesmo do punk. Tanto que logo após formar a banda, os dois amigos Pete Shelley e Howard Devoto foram até Londres só para assistir a uma apresentação dos Sex Pistols, e conseguiram fazer com que eles tocassem em Manchester, em junho e julho de 1976. No segundo show dos Sex Pistols em Manchester, os Buzzcocks se apresentaram pela primeira vez. Logo após, eles foram convidados para tocar em um festival organizado por Malcolm McLaren, que incluia nomes como The Clash, Siouxie and The Banshees e The Damned.

No mesmo ano de 1976 o Buzzcocks gravou seu primeiro EP “Spiral Scratch”, produzido por Martin Hannet. Pouco tempo depois, Howard Devoto saiu da banda, por achar que o punk deles estava ficando muito “limpinho”. Pete Shelley assumiu os vocais, dando definitivamente uma cara mais melódica e pop para a banda, o que se torna a marca do Buzzcocks: melodiosa como o pop e com a energia imediata do punk.

A partir de então, lançaram três discos, “Another Music in a Different Kitchen” (1978), “Love Bites” (1978) e “A Different Kind of Tension” (1979), e fizeram turnês bem-sucedidas pela Europa e EUA. Diversos singles emplacaram nas paradas, “Orgasm Addict” e sua franqueza sexual, “What Do I Get” e “Ever Fallen in Love”. A banda se desfez em 1981, fazendo apenas alguns shows de reunião ao longo dos anos 80, e só voltaram a lançar novos discos a partir de 1993.

A música homenageada de hoje foi lançada em uma compilação de singles e lados-B, em 1979, chamada “Singles Going Steady”. Esta canção chamada “Everybody’s Happy Nowadays”.

A letra facilmente serviria como uma crítica contemporânea a nossas próprias vidas sociais, baseadas em fotos e postagens na internet, chegando a causar depressões e síndromes psicológicas diversas:

I was so tired of being upset
Always wanting something I never could get
Life’s an illusion, love is a dream
But I don’t know what it is

Everybody’s happy nowadays
Everybody’s happy nowadays

Essa música na verdade é uma referência a uma passagem do livro de ficção científica de Aldous Huxley “Admirável Mundo Novo”, em que as pessoas são robóticas e “felizes”, mas na verdade sem nenhum sentimento, exceto pelo protagonista que se sente infeliz e revoltado com o mundo em que vive. De qualquer forma, assim como a maioria das canções do Buzzcocks, ela é simples, ácida e direta e fácil de nos identificarmos em qualquer fase da vida.