Banda ilegítimos lança seu segundo EP, “Singles”, obra conceitual que merece ser escutada

Banda ilegítimos lança seu segundo EP, “Singles”, obra conceitual que merece ser escutada

23 de setembro de 2020 1 Por Vinicius Kdalm

A banda gaúcha Ilegítimos lançou no final de julho seu mais novo trabalho, “Singles”, segundo EP da banda. O trabalho possui ótimas canções, das quais destaco “Chuva” e “A Paisagem”, com elementos característicos do blues sendo destacáveis em “Chuva”.

Além de escutar o mais novo EP, tive a oportunidade de entrevistar o vocalista e guitarrista da banda, Jeff Lee, e abaixo vocês vão conferir esse bate papo e um faixa a faixa interessantíssimo.

Como e quando surgiu a banda ilegítimos?

Jeff Lee: A banda iniciou em fevereiro de 2017, já com a ideia de focar nas composições próprias. Inclusive, no primeiro ensaio já saíram umas 4 faixas, que depois fomos para o estúdio iniciar o trabalho de pré-produção. O guitarrista solo, Jimmy Azevedo, e o baterista, Felipe Silveira, eu já tinha formado uma banda com eles em 2001, que encerrou as atividades em 2006. Ficamos um longo período sem tocarmos juntos, apenas com outros músicos. Até que ressurgiu a vontade de tocarmos novamente, principalmente quando eu conheci o baixista Gustavo “Jesus” Refosco, em 2017. Os ensaios foram constantes, durante o período de um ano e meio, antes do primeiro show. Após dois anos na banda e com os shows surgindo, o Jesus decidiu sair para se dedicar a uma banda de hard rock, estilo preferido dele. Logo encontramos um novo baixista e os ensaios não chegaram nem a parar. Em poucos meses, já estávamos fazendo shows, ensaiando e gravando com o Rafa Pestana (baixista). Ele está há um ano e meio na banda. 

Quais são as principais influências para vocês da banda?

Jeff Lee: Temos influência, basicamente, do rock clássico dos anos 60/70, movimento grunge e rock nacional dos anos 80. É como voltar no tempo para resgatar o rock tradicional. Nossas bandas preferidas são Beatles, Rolling Stones, Pink Floyd, Cream, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Lynyrd Skynyrd, The Police, Mutantes, Raul Seixas, Barão Vermelho, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso, Pearl Jam, Nirvana, Alice in Chains, Soundgarden, Stone Temple Pilots e por aí vai.      

Eu vi que o EP “Singles” lançado em julho é o segundo EP lançado pela banda, há planos para futuramente lançar um disco?

Jeff Lee: Sim. As faixas deste EP estarão no primeiro álbum. Neste momento, estamos mixando as faixas, que ainda não estão todas gravadas, mas o resultado dos quatro singles iniciais estão excelentes. Estamos mixando e masterizando no estúdio Dreher, do Thomas Dreher, que já trabalhou com bandas como a Cachorro Grande, Wander Wildner e Jupiter Maçã. A parte de pré-produção dura muito tempo. Chegamos a ficar trabalhando um ano ou até mais nos singles que lançamos agora. Temos mais duas estruturadas e prontas para gravar, mas que ainda precisam de alguns ajustes antes de entrar no estúdio.

Gostaria de fazer um faixa a faixa com vocês, então gostaria que falasse um pouco sobre cada música do EP “Singles”, abordando um pouco sobre a composição e produção da música. Inclusive, uma das músicas que eu mais curti do EP foi a faixa “Chuva”, tanto pela letra quanto o instrumental. Mas enfim, conte para nós um pouco sobre cada faixa do EP “Singles”.

Jeff Lee: Primeiramente, vale ressaltar que o álbum é conceitual, isto é, aborda um assunto cronologicamente. Minha esposa faleceu de câncer cerebral em 2016, e este é o assunto principal. Tudo começa alguns meses antes do diagnóstico, quando eu e ela fizemos uma viagem para a cidade de Bento Gonçalves, na Serra do Rio Grande do Sul. As músicas narram este momento de alegria, passando pelos primeiros sintomas, a cirurgia o tratamento até o falecimento. As faixas procuram refletir cada momento deste processo e, para mim, foi uma terapia para superar o luto. Vou comentar as músicas a partir da ordem que vai aparecer no álbum:

FAIXA 1 – A Paisagem

Esta faixa foi o início da ideia de compor um álbum conceitual. A melodia do refrão surgiu por primeiro, enquanto eu estava caminhando até um caixa eletrônico para efetivar um pagamento. Peguei o celular e gravei na rua mesmo. Cheguei em casa e comecei a trabalhar toda ela. Em poucas horas estava pronta. A letra aborda quando eu e minha esposa estivemos por um final de semana na cidade de Bento Gonçalves, por isso aborda temas como parreiras, vinhos, barris de carvalho e galeto al primo canto.

FAIXA 2 – Chuva

O tema principal desta música é o surgimento dos primeiros sintomas do tumor, quando já estávamos em Porto Alegre, onde residimos. O pano de fundo foi de âmbito social, inspirado num despejo de moradores de rua de um prédio público proporcionado pelo governo estadual, e uma exposição de artes que precisou ser interrompida a partir da divulgação, de um grupo do MBL em redes sociais, que criticava uma obra de arte por abordar um Jesus gay. O assunto viralizou e muitos curadores pelo país se interessaram em mostrar a exposição. A ignorância de um pequeno grupo se perpetuou naquele momento Brasil a fora e dava indícios para mostrar o “oceano de ignorância” que estamos vivendo hoje.

FAIXA 3 – Madrugada

Esta foi a letra mais dura que já escrevi. A inspiração surgiu a partir do momento que a colocava na cama e já saía chorando do quarto para começar a soltar a dor no peito através do choro. Portanto, a letra narra uma madrugada inteira de choro em razão da doença. Todas as palavras rimam com o principal tema da música: a dor. E toda ela foi escrita enquanto eu chorava. Tem um riff marcante hard rock que se perpetua ao longo da faixa.

FAIXA 4 – Você É Especial

O instrumental veio primeiro e depois a letra. A inspiração para a letra foi quando estávamos indo para a consulta médica num táxi. Foi quando percebi que um morador de rua estava com um cartaz escrito “Vc é especial” no semáforo, para ver se conseguia algum dinheiro. Daí eu me liguei… ela é especial. A partir da ideia da letra eu tentei escrever da maneira mais simples e singela possível. O ponto alto foi que eu mostrei para ela, e gostou bastante. Para mim, a música já tinha cumprido a sua função. Em relação ao trabalho de pré-produção, ela nos consumiu muito tempo. Levamos mais de uma mão para definir como seriam as mudanças de nuances na parte instrumental. Ela inicia em blues, cai na letra para um jazz com pitadas pop, o refrão é rock e o final é blues.

Você pode conferir o EP “Singles” logo abaixo: