5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Dennis Guedes, do The Outs

5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Dennis Guedes, do The Outs

9 de setembro de 2016 0 Por João Pedro Ramos

Todo mundo tem seus gostos, preferências e, é claro, seus garimpos no mundo da música. Com certeza tem alguma banda ou artista que só você conhece e faz de tudo para espalhar o som entre seus amigos e conhecidos. “Todo mundo precisa conhecer isso, é genial!” Se você é aficionado por música, provavelmente tem uma pequena coleção pessoal de singles e discos que não fizeram sucesso e a mídia não descobriu (ou ainda vai descobrir, quem sabe) que gostaria que todo o planeta estivesse cantando.

Pois bem: já que temos tantos amantes da música querendo recomendar, o Crush em Hi-Fi resolveu abrir esse espaço. Na coluna “5 Pérolas Musicais”, artistas, músicos, blogueiros, jornalistas, DJs, VJs e todos que têm um coração batendo no ritmo da música recomendarão 5 músicas que todo o planeta PRECISA conhecer. Hoje o convidado é Dennis Guedes, guitarrista, baixista e vocal do The Outs, banda que acaba de lançar seu primeiro disco, “Percipere”.

Brightblack Morning Light“Everybody Daylight”

“Essa banda é umas das jóias mais raras que conheci na primeira década do século XXI. A banda, formada nos EUA por um cara e uma mina bem hipongas, faz um som que é tipo uma mistura de
blues, folk e uma psicodelia bem densa e arrastada. Alguns definem como “Freak Folk”. “Everybody Daylight” foi o primeiro som que conheci, mas recomendo fortemente o disco homônimo deles, que inclusive já está disponível no Spotify!”

Bed Rugs“Chronicles”

Bed Rugs é uma banda Belga que conheci faz mais ou menos um ano. O último disco dos caras, intitulado “Cycle” (de 2015), tem forte inspiração na neo psicodelia e no dream pop. Desde que ouvi esse som deles, e depois o álbum inteiro, eu me pergunto como eles são tão desconhecidos… Pra quem curte sons como Tame Impala e Temples vale mais ainda a recomendação!”

GUM“21st Century Radiation”

“Projeto solo do Jay Watson, atual tecladista do Tame Impala, GUM é uma banda que me chama a atenção desde o seu primeiro disco, de 2014. Acho incrível as harmonias e texturas que ele consegue criar, aliando um som mais despretensioso com melodias bem boas de ouvir. Volta e meia as harmonias vocais me remetem muito à Beach Boys, talvez meclado com algo de Syd Barret. Atualmente, ele vem trabalhando (quando possível) no novo disco, “Glamorous Damage” (2015). O disco tem umas experiências interessantes com synths que remetem bastante a atmosfera dos anos 80, coisas como Bowie, Tears For Fears e Duran Duran“.

Jim White“A Perfect Day To Chase Tornados”

“Engraçado que não sei dizer exatamente qual foi o momento que eu esbarrei com o som do Jim White. O fato é que quando ouvi esse som, fui caçar outras coisas e fiquei surpreso com o que achei. Recomendo especialmente o disco “Wrong-Eyed Jesus”, de 97!”

Som Imaginário“Morse”

“O Som Imaginário, pra quem não conhece, é uma banda brazuca formada no início da década de 70. A princípio, a banda foi idealizada pra acompanhar o Milton Nascimento, mas depois a coisa foi ficando muito séria até acabarem lançando 3 discos na carreira. O primeiro, “Som Imaginário”, é o meu favorito, e abre com o groovezão da “Morse”.