“13”, do Blur: o álbum mais pessoal e melancólico dos garotos de Essex

“13”, do Blur: o álbum mais pessoal e melancólico dos garotos de Essex

1 de julho de 2016 0 Por Luis Bortotti

No Walkman, por Luis Bortotti

A sobrevida do Blur, gerada pelo disco homônimo de 1997, trilhou os caminhos da banda para trabalhos mais experimentais, fugindo do britpop rápido e direto apresentado na chamada trilogia britânica da banda (“Modern Life Is Rubbish”, “Parklife” e “The Great Escape”). Em 1999, o Blur caminhava como uma banda madura, que aprendera a conviver com os problemas pessoais de integrantes. Porém, curiosamente, um desses problemas ditou praticamente o caminho do novo álbum do quarteto de Essex.

blur-1999

No início de 1999, Justine Frischmann, vocalista da banda britpop Elastica, rompeu seu relacionamento de 9 anos com o vocalista Damon Albarn. O resultado foi a criação de músicas diretas sobre a dor que ele estava sentindo. As belas “Tender”, “No Distance Left To Run”, “Caramel” e “Mellow Song” são o reflexo mais límpido dessa derrota amorosa, passada por Albarn. As letras depressivas se casaram cirurgicamente com os belos arranjos de guitarra de Graham Coxon, como também na bela e dolorosa “Coffee And TV”.

Ao mesmo tempo, a banda trouxe canções excêntricas, que seguiram a linha criativa apresentada em seu trabalho antecessor. Explosões sonoras como: “Bugman”, “Swamp Song” e “B.L.U.R.E.M.I.” (referência aos Pistols?) mostram a criatividade adulta da banda, apresentando um pouco dos experimentos que tomariam “Think Tank”, último disco lançado em 2003, e porque também não dizer do projeto paralelo de Damon Albarn, o excelente Gorillaz?

Em resumo, 13 é o álbum mais sentimental do Blur, mas que ao mesmo tempo traduz tudo o que a banda aprendeu com altos e baixos de 10 anos de carreira (comemorados em 1999). Uma obrigação para os ouvidos de quem deseja conhecer e entender o britpop e uma receita médica para os que buscam entender os corações e cabeças desses 4 garotos britânicos.

 

Blur “13″ | Curiosidades

– A capa do disco é uma pintura a óleo feita pelo guitarrista Graham Coxon chamada “Appreciate”. O número “13”, nome do disco, também representa a letra inicial de Blur.

– O disco teve 3 singles: “Tender”, “Coffee and TV” e “No Distance Left To Run”.

– O álbum estreou no primeiro lugar das paradas britânicas, sendo o segundo disco do Blur a realizar tal feito. O disco ainda recebeu Disco de Platina.

– A versão japonesa contém a versão demo de “I Got Law”, que também saiu como lado B do single “Tomorrow Comes Today” do Gorillaz.

Blur 13 |#TEMQUEOUVIR

“Tender” (1) – “Coffee and TV” (3) – “Mellow Song”(8) – “Trimm Trabb”(11) – “No Distance Left To Run”(12)

Blur 13 | OUÇA AGORA!