Uiu Lopes lança seu primeiro EP, “Neto”, com uma boa dose de influência familiar

Uiu Lopes
Uiu Lopes

Uiu Lopes entrou no mundo da música graças a seu pai, Wilson Lopes Jr, músico e compositor que lhe ensinou a tocar quando tinha 12 anos. Desde então, estudou canto no Auditório Ibirapuera com 19 e começou sua carreira. Depois de lançar as músicas “Que Eu Te Desenhe”, “Sei Que Há”, “O Dia Inteiro” e “Rotas do Pensamento” (disponíveis no Bandcamp), o compositor apresenta seu primeiro EP, “Neto”, gravado ano passado na ACM em São Paulo por Martin Lopes. No disco, além da guitarra, violão e vocal de Uiu, temos a participação de João Lopes tocando bateria em todas as faixas e Junior Nolasco e Jota Santana se alternando no baixo. A capa mostra os pais de Uiu na comemoração de seus 25 anos de casados.

“Esse som vem de um tempo que fui morar na Bahia, em 2013, lá em Vitória da Conquista”, conta. “Compus esses sons lá, minhas primeiras composições, que só saíram agora porque meu amigo Martin Lopes, lá de Tocantins, veio estudar áudio aqui e me usou de cobaia. Eles mudaram um pouco com esse processo de produção, que foi onde todo mundo se envolveu nas ideias”.

– Me fala um pouco mais sobre o material que cê tá lançando!

Esse som vem de um tempo que fui morar na Bahia, em 2013, lá em Vitória da Conquista. Eu compus esses sons lá, minhas primeiras composições, que só saíram agora porque meu amigo Martin Lopes, lá de Tocantins, veio estudar áudio aqui e me usou de cobaia. Tem uma relação maior comigo, num processo de descoberta mesmo, relações e tal.

– E como foi a gravação dessas composições? Elas tiveram alguma mudança desde que foram compostas até o registro?

Sim, mudaram um pouco com esse processo de produção, que foi onde todo mundo se envolveu nas ideias.
Foi uma produção coletiva: eu, Martin Lopes, João Lopes (meu irmão), Jota Santana e Junior Nolasco. Esses ultimos três são todos baianos, somos da mesma cidade.

– E como você definiria esse trabalho? Me conta mais sobre o disco.

Me vieram vários significados nessa junção toda que foi estar com meus amigos que são da mesma cidade, de gravar juntos pela primeira vez, gravando tudo mesmo, um start, eu definiria como um nascimento. Tem o lance da capa, que foi agora nos 25 anos de casados dos meus pais e minha mãe já estava em gestação… Me veio tudo isso, em conjunto com essas músicas.

– Falando nisso, como você começou sua carreira?

Comecei através de meu pai (Wilson Lopes Jr.), que também é músico/compositor e que me ensinou a tocar quando eu tinha 12 anos, aí fui estudar canto no Auditório Ibirapuera com 19 e foi onde comecei minha carreira
profissionalmente.

– Quais as suas principais influências musicais?

Meu pai, Paul McCartney e Marcos Valle. São vários, mas esses no sentido da composição me influenciaram muito.

Uiu Lopes

– Como você vê a cena independente hoje em dia?

Graças à internet, a gente pode se comunicar com diversas pessoas de diferentes lugares, o que hoje em dia tem deixado uma cena efervescente que rompe com a lógica de produção de mercado. Então a todo momento tem muita coisa sendo produzida, a mensagem hoje consegue chegar de certa forma de maneira muito mais democrática.

– E você tem usado isso para divulgar seu trabalho?

Tenho usado sim. Todas a redes sociais e tal, me dou bem com o Instagram por que gosto de foto, mas não me dou muito bem com com essa coisa de me divulgar. Às vezes é estranho, causa umas crises existenciais, faço por que é necessário…

– Quais os seus próximos passos, musicalmente?

Esse é um ano de lançamento pra mim, estou produzindo com a Thasya Barbosa, fotógrafa carioca, o clipe de “Paro Pra Pensar” e também um clipe de “Versos Que Não Fiz” com a Yasmin Mamédio, que também tem um trampo de música chamado YMA, até o fim do ano saem mais algumas faixas, e o próximo passo é um disco.

– Recomende bandas e artistas independentes que chamaram sua atenção nos últimos tempos!

Em uma galera que eu curto muito, YMA de SP que lançou um clipe recentemente, Soledad do Ceará, Stella-Viva Curitiba, Laia Gaiatta que é lá de Salvador, galera que tive o prazer de conhecer e que eu curto muito o som!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *