Construindo Personas: conheça as 20 músicas que mais influenciaram o som da banda

Read More

Quando uma banda se forma, as influências de cada um dos integrantes são inúmeras e variadíssimas. Essa mistura de músicas, artistas, discos e sons entra em um imenso caldeirão musical e traz algo totalmente novo e cheio de identidade. É nessa construção de identidade que a coluna Construindo vai focar: aqui, traremos 20 músicas que foram essenciais para que uma banda ou artista criasse seu som, falando um pouquinho sobre elas. Hoje temos a banda Personas, que recentemente lançou seu disco “Vazio”.

“Na composição do Vazio eu tinha uma grande carga de bandas gringas como inspiração, mas ultimamente tenho descoberto várias bandas nacionais que fazem o tipo de som que a gente gosta de ouvir, de fazer, de colar no rolê pra assistir e de aprender com elas, e particularmente, ver essa cena acontecer me faz sentir que estamos no caminho certo e tem algo pra gente aí”, diz Rodrigo Cerqueira, baixista e vocalista da banda.

Não deixe de seguir o perfil do Crush em Hi-Fi no Spotify e ouvir a playlist desta semana, disponível no final do post!

João Capecce – guitarrista

Green Day“Jesus Of Suburbia”
Provavelmente a referência mais clichê das pessoas que cresceram nos anos 2000, mas Green Day é uma das minhas bandas preferidas desde que me conheço por gente, e acho justo dizer que foi quando assisti “Bullet In A Bible” que percebi que eu queria criar uma banda e tocar por aí.

Basement“Promise Everything”
Basement foi uma das bandas que mais nos inspirou enquanto estávamos compondo as músicas do “Vazio”, tanto a energia das músicas quanto a honestidade quase brutal foram algumas das coisas que tentamos trazer para o EP.

Movements“Kept”
Movements é uma banda que bebe da mesma fonte que o Basement, um emo mais atual, com letras extremamente honestas e músicas que sempre atingem quem tá ouvindo de uma forma quase dolorosa. Recentemente lançaram seu primeiro álbum, o “Feel Something”, que foi o que mais ouvi no ano passado.

Hateen“Quem Já Perdeu Um Sonho Aqui”
Curiosamente, nunca fui de ouvir Hateen quando eles realmente faziam sucesso, mas tenho ouvido bastante ultimamente, principalmente o último álbum, mas “Quem Já Perdeu Um Sonho Aqui” é provavelmente uma das mais clássicas, e inclusive tocamos ela algumas vezes nos primeiros shows que fizemos com o “Vazio”.

My Chemical Romance“Welcome To The Black Parade”
Em algum momento dessa lista eu teria que colocar as bandas emos de 2000, que foram as que formaram meu gosto musical e ainda ouço todo dia. Fiquei em dúvida se colocava Simple Plan ou Blink-182 ou Good Charlotte, mas My Chemical Romance é uma que nunca me canso de ouvir e parece que sempre faz eu me sentir da mesma forma que me senti da primeira vez que ouvi.

SOX“Los Angeles”
SOX é uma banda aqui de São José dos Campos (uma das melhores, diga-se de passagem), e apesar de não serem influência direto em nosso som, foram os caras que nos trouxeram para os rolês, nos ajudaram desde o começo e sempre estão na correria junto com a gente.

menores atos“Doisazero”
Admito ter demorado pra gostar de menores atos, mas teve uma vez que eu tava no carro do Digão indo pro ensaio e essa música tava tocando e percebi o quanto era bom. Animalia é provavelmente uma das melhores coisas que saiu no Brasil no últimos anos. Sem contar que o Cyro faz com uma guitarra só o que muita banda por aí não consegue fazer com três, é uma aula pra qualquer power trio por aí.

Brvnks“Don’t”
Brvnks é uma das minhas bandas preferidas que saiu ultimamente, a voz da Bruna é maravilhosa, as letras são sempre bem relacionáveis e o instrumental bem simples mas grudento. Acho que gosto bastante dessa em especial pois escrevo bastante sobre amores (passados, platônicos e não correspondidos), e acho que essa música é o hino definitivo do amor não correspondido.

eliminadorzinho“Das Vezes Que Conversamos na Cama e Acabamos Dormindo”
Fui ouvir essa música pela primeira vez pra ver a linda referência de Pokémon que tem no meio dela, mas acabei me apaixonando por todo o resto que tá rolando. Existe alguma coisa nela, talvez a combinação de tudo, que faz o mundo parar por 6 minutos e instaura um sentimento de esperança gigantesco em mim, é algo realmente mágico.

Citizen“The Night I Drove Alone”
Para o bem ou para o mal, todas nossas letras acabam sendo triste, mesmo que tenha por traz um instrumental animado. Citizen é uma aula de como escrever música triste que chega a doer fisicamente quase. Essa música parece que foi feita cirurgicamente pra você receber todas as palavras Mat como um soco na cara.

Rodrigo Cerqueira – baixista e vocalista

Diego Xavier“4 Casas”
Esse som, apesar de novo, é a cara do emo dos anos noventa. E saber que esse som é daqui do Vale do Paraíba me dá um certo orgulho de ver que as bandas daqui tem uma veia na música triste, sincera e muito boa.

Cap’n Jazz“Oh Messy Life”
Falando em emo dos anos noventa, Cap’n Jazz é uma grande referência sem sombra de dúvida. Em especial essa música, onde a letra e o instrumental casam muito bem, trazendo uma atmosfera única pra música, que sempre tentamos trazer para a nossa música.

Modern Baseball“Just Another Face”
Às vezes fica até difícil de falar sobre algumas músicas, e esse som é um desses. Essa mexe com os sentimentos, assim como todas as outras do Modern Baseball, os caras não erram nunca. Com toda certeza é uma banda que observamos e aprendemos muito.

Basement“Canada Square”
A primeira vez que ouvi esse som foi um choque, porque foi uma das primeiras músicas que realmente parei pra escutar e ler a letra junto e só consegui pensar “mano, é por isso que quero fazer música”. Ela é um soco no queixo, você consegue sentir tudo que o Andrew fala na música.

Title Fight“27”
A gente sempre tem os altos e baixos na vida, e quando eu ouvi essa música eu tava em um dos momentos ruins, e eu não queria mais estar. Ela meio que me ajudou a relembrar tudo que passei e perceber que merdas acontecem, mas que tava na hora de tocar o baile e seguir em frente.

Raça“Super Ação”
Com certeza é a música que mais tem inspirado no processo de composição, não só do “Vazio”, mas principalmente nas novas. Eu acho absurdo a maneira como eles conseguem transformar as ideias em música e deixar a gente com um gostinho de que a única forma de encontrar sentido na vida é fazendo e tocando música.

gorduratrans“vcnvqnd”
Mano, esses caras são absurdos, por mim eu teria colocado todas as músicas dos caras aqui. Os caras que me apresentaram o shoegaze, que é um negócio muito foda. O som dos caras é uma coisa caseira, feita só por dois caras e mesmo assim transmite o que muita música superproduzida não consegue dizer.

Def“Sobremesa”
Cara, banda perfeita. Me ajudou muito a pensar em músicas mais “bonitinhas” em nosso processo de composição. Os caras tem métrica muito boa, a voz da Deb é muito suave e gostosa de ouvir, e esse tipo de som é o que a gente tá tentando trazer pras músicas mais calmas, algo mais delicado e bom de ouvir.

Polara“Boate”
Esses caras são a representação do rock barulhento e confuso, o típico adolescente inconformado com a vida e com amor e sofrendo por paixões não correspondidas. Quando eu conheci esse som eu só pensei “caralho, esse é o tipo de som que eu quero fazer”. As composições são muito fodas, sem contar que os caras são loucos no palco, que foi o que me chamou atenção e me fez perceber que esse barulho tinha muito a dizer no fundo.

Terno Rei“Criança”
Essa banda tá em outro patamar, outro nível, é o tipo de banda que você pensa “porra, os caras chegaram lá”. Letras muito elaboradas, um instrumental simples mas que diz muito. Ouvir esses caras é um aprendizado tanto musical quanto de vivência, as ideias deles são muito parecidas com as minhas, e acho que esse é o mais doido da música, você poder transmitir suas ideias e ter gente que se encontra e se reconhece nessas ideias.

RockALT #5 – Terno Rei, Monza, Minus The Bear, BRVNKS e The Hexx

Read More

RockALT, por Helder Sampedro

A coluna de hoje está bem mais tranquila do que as das últimas semanas. O bacana do rock alternativo é que você tem uma gama enorme de vertentes e subgêneros para apreciar sem precisar sair de debaixo do grande guarda-chuva do rock. Seguem as minhas singelas sugestões de bandas que não curtem tocar no volume máximo.

Terno Rei
Pegue um dia que você está com preguiça de sair de casa, coloque Terno Rei pra tocar e deite no chão do seu quarto ou coisa parecida, tenho certeza que você vai entrar numa viagem de pensamentos e sentimentos que vai te levar pra bem longe dessa vida repetitiva e monótona que a maioria de nós leva. Os paulistanos do Terno Rei tem essa capacidade implacável de nos colocar em contato com o que está no nosso inconsciente. É impossível não se deixar levar pela melodia contagiante da banda.

Monza
Como ficar de mau humor depois de assistir ao clipe de ‘baixo astral’ da banda Monza? Mais uma prova de que clipes geniais não precisam de altos orçamentos. O quarteto de São Paulo nem parece ter nascido em uma cidade grande e cinza, a sonoridade da banda evoca muito mais um clima de praia ensolarada ou de uma longa e tranquila estrada. Quem me deu a dica dessa banda foi a Joyce do Cansei do Mainstream, se você curtiu Monza, fique ligado no blog dela pra conhecer muitas mais!

Minus The Bear
Saindo um pouco da mesmice das minhas indicações aqui na coluna, o Minus The Bear tem mais de 15 anos de estrada. A banda formada em Seattle, EUA tem um repertório muito variado que começou com experimentações avant-garde e progressivamente foi ficando mais rico e sofisticado. Seus 6 álbuns de estúdio são um deleite pra quem curte descobrir bandas novas e apreciar o processo de amadurecimento de um artista. Seu trabalho mais recente ‘Voids’ foi lançado no início do mês.

BRVNKS
Você já deve ter ouvido o som da BRVNKS (ou Bruna, para os íntimos), mas mesmo assim eu quis indicar aqui. O som da banda goiana recém chegada a São Paulo une a doçura da voz da vocalista e suas letras confessionais com um som que seria a trilha sonora perfeita pra um fim de semana ensolarado ao ar livre. São apenas quatro músicas, mas você não vai conseguir tirar o EP do repeat.

The Hexx
O EP lançado há um ano pela banda paulistana de Indie rock, The Hexx, mostra porque a banda merece destaque mesmo em uma cena tão efervescente quanto a atual. As quatro músicas apresentam uma banda coesa e harmoniosa mas ainda assim podemos sentir um baixo de presença forte e os vocais de melodias cativantes. A banda promete mais um EP ainda para o primeiro semestre, quem sabe eles não toquem algumas novidades no show que farão no RockALT dia 09/04? Esperamos que sim!

Se você curtiu essa coluna, fica aqui o convite para nossa festa. E não deixe de escutar o RockALT toda a quinta-feira às 21h na www.planetmusicbrasil.com.br ou no perfil do Mixcloud: https://www.mixcloud.com/rockalt/

Anote na agenda! Eventos recomendados da semana – 10 a 16/03/2017

Read More

A semana está recheada de eventos com bandas tocando por todos os cantos de São Paulo. Então não adianta reclamar que “o rock morreu”: ele tá bem vivo, você que não tá indo visitá-lo!

Sexta-feira – 10/03

19hStereophant, Dom Capaz e Vladvostock (Breve) – As bandas apresentam respectivamente o material de seus trabalhos “Correndo de Encontro a Tudo”, “Cadeira Vazia” e “Pompéia” no Breve. Confira o evento.

19hAlf Sá (Associação Cultural Cecília) – O ex-vocalista das bandas Rumbora e Supergalo e ex-baixista dos Raimundos apresenta o lançamento de seu primeiro álbum, “Você Já Está Aqui”. Confira o evento.

20hTwinpine(s) e Winteryard (Sensorial Discos) – O indie/grunge/alternativo/experimental do Twinpine(s) vai encontrar o post rock/ shoegaze do Winteryard pra fazerem uma bela noite na Sensorial Discos. Confira o evento.

20hBloodbuzz e Tokyo Savannah (Estúdio Aurora) – O projeto Aurora Ao Vivo traz dessa vez as bandas de São Paulo Bloodbuzz e Tokyo Savannah. Confira o evento.

20hFestival Viagem Eterna (Stage Bar) – Organizado pelo pessoal da banda BIKE, o festival contará com as bandas Um Quarto, My Magical Glowing Lens, Terno Rei e, claro, a BIKE, com participações de Tagore e Gabriela Deptulski. Confira o evento.

21hArrastão Cultural Apresenta (Deco Rock Bar) – No evento, artistas de Guarulhos fazem conexões sonoras com musicos de outras de outras cidades/estados. Nesta edição, shows das bandas Belga Bordô, Supercolisor, de Manaus, e Nygzoi. Confira o evento.

21h30Jonnata Doll e os Garotos Solventes (SESC Belenzinho) – A banda do ensandecido e genial Jonnata Doll faz o lançamento do disco “Crocodilo” com participações de Dado Villa Lobos e Clemente (Inocentes). Confira o evento.

Sábado – 11/03

16hHowlin Summer (Estúdio Subway) – A banda Gomalakka faz um show acústico com as faixas de seu mais recente EP, “Ressaca Moral”. Confira o evento.

20hHoudini (Funhouse) – A festa da Funhouse contará com show de Murilo Sá para abrir a noite. Confira o evento.

21h30The Highjack e Wallacy Williams (Serralheria) – A banda carioca The Highjack se apresentará na capital paulista, no espaço Serralheria (Lapa), dando continuidade à divulgação de seu álbum de estréia, “Express”, com abertura de Wallacy Willians. Confira o evento.

Domingo – 12/03

18hSerapicos (Centro Cultural São Paulo) – Showzão grátis no CCSP com as músicas do álbum duplo “17 Canções em Português Para Ouvir Antes de Morrer”. Confira o evento.

Segunda-feira – 13/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Terça-feira – 14/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Quarta-feira – 15/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Quinta-feira – 16/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Breaking News: 12 clipes independentes lançados nesta semana que você precisa conhecer

Read More
Camila Garófalo
Camila Garófalo

Camila Garófalo“Camarim”

Dirigido pelos Irmãos Guerra e com a participação de Luiza Lian, Nina Oliveira, Laya, Lara Aufranc e Tika, o clipe de “Camarim” foca na visibilidade lésbica. “Não acho que ser lésbica ou bissexual é algo que vai precisar ser declarado daqui um tempo. Mas agora é preciso. Não tem a ver com rótulos, tem a ver com fortalecer a causa. Eu apenas posso falar sobre coisas que me dizem respeito por isso defendo as causa do movimento LGBT e feminista. Sempre vou defender” disse a cantora ao site Vírgula.

Skating Polly“Across The Caves”

O novo clipe das irmãs Kelli e Peyton mostra uma singela conversa com um telefone de latinha e também um pouco do lado menos agressivo do duo. O vídeo para a faixa do disco “The Big Fit” foi dirigido por Sofia Due Rosenzweig.

Goat“Union of Mind and Soul”

Retrô, hipster, Instagrâmico… chame como quiser. O clipe para “Union of Mind and Soul”, faixa que fará
parte do disco “Requiem”, a ser lançado amanhã, combina direitinho com a música.

Violent Soho“No Shade”

Um clipe road movie com aquelas famosas kombis americanas despedaçadas mostrando um pouco da vida de banda independente na estrada. A faixa faz parte do disco “WACO” e a direção do vídeo é de Dan Graetz.

Lia Pamina“Walking Away”

Uma prévia do disco “Love Is Enough”, a ser lançado em novembro. A faixa é provavelmente uma das mais belas e românticas do disco. A cantora coleciona influências de Astrud Gilberto, Nancy Sinatra e Claudine Longet.

Terno Rei“Criança”

Recém lançado pela Balaclava Records, o clipe dirigido por Bruno Alves conta com os atores Samantha Francisco e Jorge Neto e seus encontros em desencontros em um vídeo e música que não devem nada para o rock alternativo internacional.

Izzy True “Sex Ghost”

Faixa do disco “Nope”, lançado pela fugerenga Don Giovanni Records. A direção é de Patrick JF Smith e o tal “Sex Ghost” do nome da faixa aparece.

Fake Palms“Holiday”

Um clipe doce (e derretido, e sujo) dirigido por Allison Johnston. Prepare as papilas gustativas.

The Dancing Morons“Demilitarized Zone”

O ska punk vive na Bélgica. O clipe, divertido e cheio de noventice, é a primeira música a ser divulgada do próximo álbum do grupo belga.

Xenia Rubinos“See Them”

Em tempos de discussão sobre ciclovias (o blog é a favor da mobilidade urbana), acompanhe Xenia Rubinos em um passeio de bike (e muitos outros) em 360º no clipe de “See Them”, faixa do disco “Black Terry Cat”, dirigido por Armando Croda.

Lovely Bad Things“Teenage Grownups”

Sinta-se assistindo o “Lado B” da Mtv em 1993 com “Teenage Grownups”, faixa do disco dos Lovely Bad Things a ser lançado ano que vem pela Burger Records. A direção é de Allyson Hernandez.

Hannah Williams and the Affirmations“Tame in the Water”

O clipe de “Tame In The Water” foi gravado em um dia em Bristol, Inglaterra, terra natal da banda, que interpreta todos os personagens do clipe, que conta com um grande coelhão amarelo. Sim, é isso mesmo.

Escolha seu show e aproveite o Dia da Música (18/06) em São Paulo com muito som!

Read More
Dia-da-Música-2016

Neste sábado (18 de junho) acontece o Dia da Música, e é claro que vai rolar um monte de eventos e atrações aqui em São Paulo para homenagear a data. É só escolher qual combina mais você (ou ir em vários, porque não) e aproveitar!

Local: Parque Villa Lobos

A segunda edição do Festival BB Seguridade de Blues e Jazz contará a partir das 11h com apresentações de Orleans Street Jazz Band, O Bando, Orquestra Voadora, B4 Jazz Quartet, Toninho Horta, Steve Guyguer (part. Flávio Guimarães), Marco Lobo Quinteto com David Liebman e Maria Gadú (part. Tony Gordon). A entrada é gratuita.

Local: Neu Club
Rua Dona Germaine Burchard, 421, São Paulo

As bandas Terno Rei (SP), Meneio (SP) e The Shorts (PR) se apresentam na casa que sempre conta com bandas autorais antes de suas festas, no Esquenta. A entrada é gratuita.

Local: Funhouse
Rua Bela Cintra, 567, 01415-000 São Paulo

A festa Houdini contará com shows das bandas Kid Foguete e Moblins à partir das 21h!

Local: Largo do Paissandu
Lrg. do Paissandu, 01034-010 São Paulo

O Palco Test trará shows de cinco bandas ao ar livre, em frente à Galeria do Rock: as paulistas Projeto Trator, Fear of the Future, Autoboneco, Subcut e a paranaense Vermes do Limbo.

Local: Praça Vitor Civita
Rua Sumidouro, 580, 05428-070 São Paulo

O Rock Ex Machina e o Tendal Independente fecham parceria para levar pras ruas o som das bandas independentes. Shows de Bufalo, Z13 Duo, Giallos e O Grande Ogro.

Local: Razzmatazz
Rua Wisard, 271, 05434-080 São Paulo

Shows de Bike, The Cigarrettes, Lava Divers, Gorduratrans, Poltergat e The Soundscapes mostrando que a cena independente continua viva e forte para o povo da Vila Madalena.

Local: Passagem Literária da Consolação

Com entrada grátis, a Passagem Literária da Consolação recebe a partir das 16h shows de Continental Combo, Os Radiophonicos, Os Estilhaços e Os Skywalkers.

Virada Virtual

Para quem não quer ou não pode sair de casa, o dia da música também terá a terceira edição da Virada Virtual, festival online gratuito com 24 horas de música ao vivo sem parar! Shows para todos os gostos, tudo com muita qualidade. Anota aí: Di Melo, MSário, Samba da Valdineia com Trio Gato com Fome, Paula Sanches e Paulinho Timor, Tupiniquin, Cavalleria, Verônica Decide Morrer, Fino do Rap, Lobotomia, Freetools, TopsyTurvy, Mano Ble, Meneio, Luiza Meiodavila, Falso Coral, A Bandallera, Eristhal e Rafael Castro, Luque Barros, Juliana Perdigão e os Kurva, Leptospirose, Muzzarelas, Lineker, Indaiz, Rico Dalasam e Filpo Ribeiro e a Feira do Rolo.

Tem mais? CLARO que tem mais. Para saber de TODOS os shows que rolam neste dia (dentro e fora de São Paulo), é só conferir no mapa do site oficial da data:

http://www.diadamusica.com.br/festival/mapa