Samuca e A Selva apresenta “Flores Raras” em audiovisual

Read More
Gravação Clip Vai Madurar

Falar em Samuca e A Selva é falar de um coletivo de bons músicos que sabem colocar o público para dançar. Apresentam bem a sua malemolência das harmonias e levam o suíngue acompanhada de boas letras com humor e sagacidade. Agora, eles apresentam todo seu gingado potencial em formato de audiovisual.

‘Flores Raras’ foi a música escolhida para apresentar bem aos olhos, além dos ouvidos, o disco “Madurar”, que foi lançado em 2016, pela YB Music e foi indicado ao 28º Prêmio da Música Brasileira. Nesse álbum, Samuca e A Selva contou com grandes parecerias como o Thiago França do Metá Metá e o Maurício Fleury do Bixiga 70.

O Clipe, que conta com a presença de bailarinos profissionais encenando, acontece em um cenário simples, mas que remete fielmente a essência da música, que tem a composição de Rodolfo Lacerda, Bruno Parola e Dani Agrelli. “Eles escreveram a letra em uma viagem à Juréia e acharam a minha cara”, conta o vocalista e compositor, Samuel Samuca.

A música tem um ritmo latino e quente, que é representada no clipe através de flores, folhas e um principal cenário, que é uma cama com flores derramadas. O casal no clipe, em meio à trama, dialoga bem com a sensualidade e explora ações e repulsa, que estão presentes na música.

O audiovisual de “Flores Raras” tem a direção assinada por Rodolfo Dox, cenografia de Carol Mota, e conta com a atuação dos bailarinos Maria Glória Poltronieri Borges, Ana Clara Poltronieri Borges, João Paulo Andrade Gomes. O resultado está florido e dançante, dá o play e baila!

5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por João Perreka, da João Perreka e os Alambiques

Read More
João Perreka
João Perreka

Todo mundo tem seus gostos, preferências e, é claro, seus garimpos no mundo da música. Com certeza tem alguma banda ou artista que só você conhece e faz de tudo para espalhar o som entre seus amigos e conhecidos. “Todo mundo precisa conhecer isso, é genial!” Se você é aficionado por música, provavelmente tem uma pequena coleção pessoal de singles e discos que não fizeram sucesso e a mídia não descobriu (ou ainda vai descobrir, quem sabe) que gostaria que todo o planeta estivesse cantando.

Pois bem: já que temos tantos amantes da música querendo recomendar, o Crush em Hi-Fi resolveu abrir esse espaço. Na coluna “5 Pérolas Musicais”, artistas, músicos, blogueiros, jornalistas, DJs, VJs e todos que têm um coração batendo no ritmo da música recomendarão 5 músicas que todo o planeta PRECISA conhecer. Hoje, o convidado é João Perreka, líder da banda João Perreka e os Alambiques.

RPW“Pule ou Empurre”
“Vamos começar pelas origens. Em 1996, o garoto aqui vivia com skate de baixo do braço e colava nos bailes de rap e nas festas de pichador, onde rolava o som alucinante do grupo RPW formado em São Paulo, pelo trio Rúbia, DJ Paul e W-Yo e botava geral pra bater cabeça. Foi nesta época, que criei os primeiros vínculos com a galera de outras quebradas e conheci muito grupo de rap”.

Mental Abstrato“Jazzeira”
“Tai uma banda que até esses dias não conhecia, mas hoje é uma das minhas preferidas, pois uma galera me falava para ouvir e tive a honra de sacar a primeira vez ao vivo. O som do Mental Abstrato é difícil de descrever, pois faz um jazz, porém caminha por vários, seguimentos musicais (vários mesmo!), e cada instrumentista vai mandando tua onda boa no som”.

Marsa“Vermelhos”
Marsa é uma banda que todos precisam ouvir vindo da nova geração musical pernambucana que tanto aprecio desde os tempos de Chico Science e Fred 04. Thiago Martins, linha de frente da Marsa, tem uma voz sensacional que transcende com a sensibilidade do som da banda”.

Edgar“Te Dei Amor e Catuaba”
“Musico místico, criador de letras, figurinos, documentários e instrumentos fantásticos e cada dia que passa evolui no que faz, e nos presenteia ainda mais com seu som inovador”.

Samuca e a Selva“Madurar”
“Uma trupe genial de músicos fora de série, destaque pro swing e carisma do vocalista Samuca e para som pra lá de animado. O show deles é uma grande festa, e dificilmente quem ouve fica parado”.