5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Tony Aiex, do Tenho Mais Discos Que Amigos

Read More
Tony Aiex, do Tenho Mais Discos Que Amigos
Tony Aiex, do Tenho Mais Discos Que Amigos

Todo mundo tem seus gostos, preferências e, é claro, seus garimpos no mundo da música. Com certeza tem alguma banda ou artista que só você conhece e faz de tudo para espalhar o som entre seus amigos e conhecidos. “Todo mundo precisa conhecer isso, é genial!” Se você é aficionado por música, provavelmente tem uma pequena coleção pessoal de singles e discos que não fizeram sucesso e a mídia não descobriu (ou ainda vai descobrir, quem sabe) que gostaria que todo o planeta estivesse cantando.

Pois bem: já que temos tantos amantes da música querendo recomendar, o Crush em Hi-Fi resolveu abrir esse espaço. Na coluna “5 Pérolas Musicais”, artistas, músicos, blogueiros, jornalistas, DJs, VJs e todos que têm um coração batendo no ritmo da música recomendarão 5 músicas que todo o planeta PRECISA conhecer. Hoje o convidado é Tony Aiex, responsável pelo premiado site Tenho Mais Discos Que Amigos!

The New Amsterdams“Turn Out The Light”

“Essa é a banda paralela do vocalista de uma das minhas bandas favoritas, The Get Up Kids. Matt Pryor resolveu sair do que fazia anteriormente e arriscou na mistura de folk e indie, muito antes do gênero estar na moda. Essa música é belíssima e captura bem os traços do que ele fazia no Get Up Kids e adicionou à sua nova banda”.

Gym Class Heroes“Taxi Driver”

“Muito antes de se tornar uma banda pop que faz “feats” com Adam Levine, o Gym Class Heroes foi mestre em misturar hip hop e rock alternativo de forma bem orgânica. Sua paixão pelo emo fica explícita em músicas como “Taxi Driver”, onde Travis McCoy rima falando nomes de bandas que vão de Death Cab For Cutie a My Chemical Romance. Esse disco, “Papercut Chronicles”, é um dos que eu levaria para uma ilha deserta e foi fundamental como minha trilha sonora nos primeiros anos de TMDQA!”

The Network“Roshambo”

“Por falar em banda paralela, o Green Day tem algumas e pouca gente sabe disso. The Network foi um projeto onde eles colocaram máscaras, adotaram apelidos e flertaram com um lance robotizado, meio DEVO. Essa música é cheia de melodia ao mesmo tempo que apresenta a identidade do Network”.

Dear Landlord“I Live In Hell”

“2009 e 2010 foram anos caóticos pra mim. Um milhão de problemas pessoais acontecendo e eu fundei o TMDQA! e tinha algumas poucas horas do dia para fazê-lo dar certo. Dormia 3 horas por noite, fiquei doente várias vezes, e diversos discos lançados nessa época serviram como apoio para seguir em frente. “Dream Homes” da banda punk Dear Landlord foi um deles, e o álbum abre com a sensacional ‘I Live In Hell’“.

Raimundos“Infeliz Natal”

“Em 1995 o Raimundos lançou uma caixa de Natal chamada “Cesta Básica”, que vinha com CD, gibi e uma fita VHS. O Raimundos foi a banda nacional de rock mais importante na minha formação musical, e é claro que eu pedi para a minha família. ‘Infeliz Natal’ abre o álbum que ainda tem covers de Ramones e Sex Pistols e algumas versões ao vivo de músicas como ‘Puteiro em João Pessoa’ e ‘Esporrei Na Manivela’“.

10 fitas demo de bandas de rock brasileiro que acabaram virando sucesso nacional

Read More
Fitas Demo
Imagem: UOL Música

Até o começo dos anos 2000, as bandas que estavam começando gravavam fitas demo, mostrando um pouco de seu material em um formato que era mais fácil de se copiar e enviar, inclusive para gravadoras, nas práticas e baratas fitas K7. Nesta imensa lista de demos registradas temos o embrião musical de várias bandas que acabaram estourando e virando sucesso em todo o país, muitas delas ainda fazendo um som bem diferente do que viria a consagrá-los na boca do povo. Confira 10 fitas demo de bandas que viraram sucesso nacional:

CPM22 (na demo, ainda “CPM”)

Uma das demos do CPM 22 mostra que no início a banda investia um pouco em sons um pouco mais “engraçadinhos” do que as músicas que viriam a definir o grupo. Dois exemplos na fita de 1996 (também conhecida como “Como Por Moral”) são “Garrafada do Norte” (“Doutor Deus criou a natureza / E também as belezas dessa vida / O Planet Hemp quer saber por que é essa erva é proibida”) e “Viva o Colorado” (com a singela letra “Pau no cu da Barbie / Viva o Chapolin Colorado”) .

01. Tente
02. Mudança de Personalidade
03. Garrafada do Norte
04. Eu Prometo
05. Viva o Colorado

– Raimundos

Esta demo dos Raimundos já mostra um pouco do que seria lapidado por Carlos Eduardo Miranda no primeiro disco do quarteto candango, lançado pela Banguela Records em 1994. A única exceção é “Sanidade”, já cantada por Digão e lançada oficialmente no disco “Éramos Quatro”, logo após a saída de Rodolfo.

01. Nêga Jurema
02. Marujo
03. Palhas do Coqueiro
04. Sanidade (Digão no vocal)
05. Carro Forte (Bônus)

Charlie Brown Jr.

O Charlie Brown Jr. é quase irreconhecível na fita demo de 1995, a não ser pela voz de Chorão. Com três músicas em inglês, a fita mostra uma banda muito mais calcada no Suicidal Tendencies e com porradas mais violentas do que veríamos em “Transpiração Contínua Prolongada”, quando a banda resolveu cantar em português. Algo ótimo, já que a intimidade do Chorão com a língua inglesa era mínima.

1- Someone to Call
2- Rude Boy
3- Born in the Shit

Planet Hemp

Todas as músicas da rara fita demo de 1993 do Planet Hemp acabaram indo para o primeiro disco da banda, lançado em 1994, com uma grande diferença: a presença de Skunk, fundador do grupo, que infelizmente morreu em decorrência da Aids antes do lançamento do álbum.

01 – Puta Disfarçada
02 – Porcos Fardados
03 – Muthafuckin’ Racists
04 – Futuro do País
05 – Mary Jane
06 – Phunky Buddha
07 – Rappers Reais
08 – A Culpa É de Quem?

Pato Fu

A demo do trio mineiro (hoje em dia quinteto) mostra aquela faceta mais esquizofrênica e divertida capitaneada por John Ulhôa e que lembra o lado mais descompromissado e experimental dos Mutantes. As músicas entraram no “Rotomusic de Liquidificapum”, de 1993, e em “Gol de Quem”, de 1995.

01 – Meu Coração É Uma Privada
02 – Eu Sou O Umbigo Do Mundo
03 – Minhas Férias
04 – G.R.E.S.
05 – Aerosmiths
06 – Obladi – Oblada
07 – Hino Nacional Do Pato Fu
08 – Meet The Flintstones
09 – Vida De Operário
10 – Céreblo
11 – Spoc
12 – O Mundo Ainda Não Está Pronto
13 – Sítio Do Picapau Amarelo

Los Hermanos

Antes do estouro de “Anna Julia”, o quarteto carioca lançou duas demos investindo no hardcore com um quê de marchinhas de Carnaval. Aliás, com o lançamento do primeiro disco com o hit, a banda continuava afirmando “somos uma banda de hardcore!” Depois acabaram assumindo seu lado indie misturado com MPB e estouraram mais ainda.

01 – Descoberta
02 – Azedume
03 – Eu te Dei
04 – Vai Embora

Paralamas do Sucesso

As demos dos Paralamas mostram muito do embrião da banda. Músicas um pouco mais “bobinhas” com letras escritas em sua época de faculdade, como “Rodei De Novo” e “Solidariedade Não”, são citadas no livro que conta a história do trio. “Patrulha Noturna”, presente aqui, chegou a virar hit no primeiro disco da banda.

01 – Verão
02 – Mandingas De Amor
03 – Solidariedade Não
04 – Os Reis Da 49
05 – Encruzilhada Agro-Industrial
06 – Patrulha Noturna
07 – Rodei De Novo
08 – Vital E Sua Moto
09 – Vovó Ondina É Gente Fina
10 – Shopstake

Legião Urbana (na época, Aborto Elétrico)

Outra banda que criou um verdadeiro culto ao seu redor, o Legião Urbana foi em seus primórdios o seminal grupo punk brasiliense Aborto Elétrico. Na época, Renato Russo mirava mais no Johnny Rotten e no Joe Strummer do que no Morrissey em sua performance. Muitas das músicas acabaram sendo adaptadas no Legião Urbana, e todas ganharam versões do Capital Inicial em um disco tributo, já que e Flávio Lemos faziam parte da banda.

01 – Anúncio de Refrigerantes
02 – Boomerang Blues
03 – Dado Viciado
04 – Marcianos Invadem a Terra
05 – Medo
06 – O Reggae
07 – Pensamentos Tão Completos

Autoramas

A demo dos Autoramas mostra que o balanço da banda já nasceu quase pronto. As três canções do trio, ainda com Nervoso na bateria, acabaram entrando no primeiro disco do grupo, “Stress, Depressão e Síndrome do Pânico”, e são pedradas certeiras que continuam nos sets do grupo em shows até hoje.

01. Eu Não Morri
02. Catchy Chorus
03. Tudo Errado

Pitty (na época, vocalista do Inkoma)

Antes de ficar famosa no Brasil inteiro com “Máscara” e seu primeiro disco, Pitty era vocalista da banda punk Inkoma. Na demo dá pra reparar a diferença: um hardcore rápido e a vocalista gritando como a escola do punk rock gosta. As letras fogem bastante do que ela fez em sua carreira solo em sons como “Pirigulino Babilake”.

01 – Mundo Imperfeito
02 – Inquadrado
03 – Naquela da Social
04 – Introporco
05 – Pirigulino Babilake
06 – Pilha Pura

Conheça 10 das capas mais horrendas já criadas para discos da música brasileira

Read More
naldo-benny-capa-romero-britto

A banda se esforça, cria canções com refrões ganchudos, riffs memoráveis, acordes complexos e músicas que grudam na cabeça. Porém, muitas delas acabam deixando de lado um fator importante: a capa do disco. Nisso surgem verdadeiras obras horrendas e bizarras, às vezes com a melhor das intenções, outras feitas às pressas… Além, é claro, daquelas que as bandas defendem com unhas e dentes, apesar de serem mais horripilantes que ser acordado às 6 da manhã de um domingo por ET e Rodolfo com buzinas em seu ouvido.

Por isso, o Crush em Hi-Fi (com auxílio de diversas sugestões colhidas nas redes sociais) te leva agora à uma lista com 10 das capas mais feias que a música brasileira já teve coragem de colocar em discos. Prepare seus olhos e deixe o senso estético na porta!

Um adendo: este post não quer em nenhum momento denegrir as músicas contidas nos álbuns em questão! O foco aqui são apenas as capas, okay?

“Pt qQ cOizAh”, Raimundos (2005)

Com a saída do vocalista Rodolfo, o Raimundos se reergueu e lançou “Kavookavala” (2002), com uma divertida capa com inspiração no clássico Rat Fink e músicas que, apesar que não serem as melhores da banda, se sustentam muito bem. Mas daí veio a saída do baixista Canisso e com o ex-Rumbora Alf no baixo e backings, a banda lançou o EP “Pt qQ cOizAh“, com músicas que lembram o hardcore “raimundístico”, mas que veio com uma das capas mais horríveis e preguiçosas de todos os tempos. Parece que uma criança de 5 anos ficou uns 10 minutos na frente do Paint e criou essa obra.

Raimundos Pt qQ cOizAh

“As Novas Aventuras do DJ L”, Latino (2005)

Sabe aquelas caricaturas que os artistas oferecem em feirinhas hippie? No disco que sucedeu o sucesso de “Festa No Apê”, parece que Latino achou uma boa ideia colocar isso como capa. Dá até vergonha de ver. Talvez ele já tivesse se ligado na queda da cultura do álbum e o crescimento dos singles e mp3… acho que é o único jeito de defender essa atrocidade.

As Novas Aventuras do DJ L Latino

“Agora Sai”, Lagoa (1996)

O Lagoa 66 era uma banda elogiada do underground paulistano. Depois de muitas tentativas de lançar um disco, o grupo abandonou seu som característico e apostou em algo mais “Mamonas Assassinas”, que estava em alta na época. A capa segue a mesma tosquice do disco dos Mamonas: uma montagem horrenda com a cara dos integrantes em um fundo “animado”. E ainda inspiraram o patinho da FIESP.

Lagoa Agora Sai

“Os Invisíveis”, Ultraje a Rigor (2002)

É deste disco um dos últimos hits autorais do Ultraje, “Me Dá Um Olá”, que tocou bastante nas rádios. Como o disco tem bastante influência da surf music, a capa mais preguiçosa que você depois de uma pratada de feijoada é apenas uma onda com um efeito “swirl”. E pronto. Hoje em dia com o Snapchat tá pra criar uma capa melhor que essa. Aliás, na época dava pra criar capa melhor em uns 40 minutos.

Ultraje a Rigor Os Invisíveis

“Fabio Jr”, Fábio Junior (1995)

Fábio Junior é gato, Fábio Junior é ídolo, Fábio Junior é o terror das mulheres, Fábio Junior deixa sua mãe morrendo de amores todas as vezes que aparece na TV cantando “Alma Gêmea” ou “Pai”. Mas essa capa pelado agachadinho no canto não dá, né? Parece que ele tá soltando um suntuoso barro e alguém o pegou no flagra e, em vez de ficar bravo, ele resolveu flertar com o paparazzo.

Fabio Junior

“Mamonas Ao Vivo”, Mamonas Assassinas (2006)

Não que a capa do primeiro e único disco oficial dos Mamonas Assassinas seja boa (não é), mas esta aqui faz o mesmo esquema da primeira (o rosto dos integrantes com intervenções em ilustração), só que faz bem pior. Um desenho infantil do quinteto no céu, representando-os após sua trágica morte. Além do desenho horrendo, é de certo mau gosto.

Mamonas ao Vivo

“Música Calma Para Pessoas Nervosas”, Ira! (1993)

Em 1993, o Ira! fez uma capa com fotos desfocadas de seus integrantes (mal dá pra saber quem é quem) com pintura a dedo no fundo e um pouco de WordArt daqueles que faziam os trabalhos da escola parecerem “profissionais” lá na 3ª série.

Música Calma Para Pessoas Nervosas Ira!

“Com a Cabeça no Lugar”, Velhas Virgens (2003)

Vocês sabem o teor das letras das Velhas Virgens. Sim, a capa combina com o que eles cantam em praticamente todas suas músicas. Mas convenhamos que é uma capa feia pra caceta. Olha essa fonte do nome da banda. Olha a fonte ali embaixo. O negócio foi aplicado no Paint lá no Windows 95. Só pode. Sim, o Paulão deve ter adorado fazer a foto.

Velhas Virgens Com a Cabela No Lugar

“Sarniô”, Naldo Benny (2015)

Não preciso nem comentar essa capa do Naldo feita pelo Romero Britto, né? Acho que não.

naldo-benny-capa-romero-britto

“With Lasers”, Bonde do Rolê (2006)

Tá, o Bonde do Rolê é uma banda “engraçadinha” e a capa não poderia ser séria, mas isso aqui é muito feio. Aquele recorte mal feito em cima da cabeça do Cristo. Essa fonte “radical”. A caveirinha feita com guache por uma criança no jardim da infância…

Bonde do Rolê With Lasers

E pra você, qual é a capa de disco mais feia já lançada na música brasileira? Deixe sua sugestão aqui nos comentários! Denuncie todas as ~artes~ que fizeram seu estômago revirar na loja de discos!

Então é Natal: 26 músicas natalinas para o 25 de dezembro que não são da Simone

Read More
Bruce Springsteen Natal

Então é Natal… e o que você fez? Se você amaldiçoou a versão da Simone para “Happy Xmas (War Is Over)” do John Lennon, provavelmente você não foi o único. Afinal, desde que foi lançada, a música é tocada à exaustão em quase todos os lugares em que se vai nessa época. Mas calma: dá pra escapar dessa canção.

Confira aqui uma lista com 26 músicas natalinas (e anti-natalinas) que podem ajudar a salvar o seu Natal:

Bruce Springsteen“Santa Claus Is Coming To Town”

Nada melhor que passar a noite de Natal com The Boss, certo?

Garotos Podres“Papai Noel Velho Batuta”

Uma ode ao Papai Noel que só presenteia quem merece (ou seja, quem tem grana).

The Killers“Don’t Shoot Me Santa”

The Killers tem uma tradição de sempre lançar músicas no Natal. Essa é a de 2007, onde Papai Noel tá com uma arma carregada atrás do povo, mas se você fuçar, vai achar muitas outras.

Raimundos“Infeliz Natal”

Assim como no caso dos Garotos Podres, os Raimundos resolveram cantar o Natal de quem não tem lá tanta felicidade pra comemorar em dezembro.

Ramones“Merry Christmas (I Don’t Wanna Fight Tonight)”

Não é segredo pra ninguém que os Ramones não se suportavam. Talvez essa relação tempestuosa dos rapazes tenha inspirado os parênteses do refrão da música natalina do grupo.

Slade “Merry Xmas Everybody”

Poxa, um Natal com o Slade é muito mais bacana, não dá pra negar. Vejam só o vídeo e tentam não se contagiar pelo clima natalino roqueiro setentista.

The Ravers“(It’s Gonna Be A) Punk Rock Christmas”

Com letras como “Johnny Ramone will get a sled for a car” e “Even Santa will be a Sex Pistol for a day”, o Ravers manda muito bem no Natal punk rock.

Run-DMC“Christmas In Hollis”

Descubra como seria um Natal com os Kings Of Rock Run-DMC. Na letra você descobre até o cardápio que a mãe de Run prepara. Anote e torça pro Aerosmith aparecer na hora da ceia.

The Darkness“Christmas Time (Don’t Let The Bells End)”

Lógico que uma música natalina do The Darkness não ia faltar. Tem toda a breguice da banda (no bom sentido) e os agudinhos que caracterizam o som.

Fear“Fuck Christmas”

Ei, nem todo mundo gosta do Natal. O Fear está entre esse grupo.

Blink-182“I Won’t Be Home For Christmas”

Mais uma pra quem não curte muito o feriado do nascimento de Jesus. O Blink-182 dá o recado e mostra a vida de um cara que desce o cacete nos que adoram o Natal e acaba tendo seu “presente desembrulhado” na prisão.

Dio“God Rest You Merry Gentlemen”

Uma das maiores vozes do metal gravou uma canção natalina com toques de Sabbath.

TLC“Sleigh Ride”

Aqui no Brasil, passeio de trenó só se for no dos Papais Noéis do Center Norte. Então, divirta-se com o passeio de trenó do TLC.

Wham!“Last Christmas”

George Michael na fase “Wake Me Up Before You Go Go” te relembra do Natal passado.

Rancid “Xmas Eve (She Got Up And Left Me)”

No Natal do Rancid, alguém levou um pé na bunda. Acontece, fazer o quê. Melhor sorte no ano que vem.

Julian Casablancas“I Wish It Was Christmas Today”

O vocalista dos Strokes está mais ansioso do que você pro Natal, pode ter certeza.

Fountains Of Wayne“I Want An Alien For Christmas”

Alguns pedem roupas. Outros pedem brinquedos. Tem quem peça carros, celulares e etc. Já o Fountains Of Wayne pediu um Alien.

Stiff Little Fingers“White Christmas”

Os ingleses pisam em cima do clássico e deixam “White Christmas” mais punk do que você imaginaria. Ah, e no meio eles aceleram um pouco mais, pra deixar os familiares mais horrorizados.

Lady Gaga e Tony Bennett“Winter Wonderland”

A versão jazzy de Gaga junto com Bennett mostrou o poder de sua voz em “Winter Wonderland” e oferece um Martini para o Papai Noel.

Ludacris“Ludacrismas”

Tá, essa aqui foi só pelo título trocadilho.

Bad Religion“Little Drummer Boy”

Acredite ou não, o Bad Religion tem um disco só de músicas de Natal. Ei, punks também gostam de panetone.

Tom Waits“Christmas Card From a Hooker In Memphis”

Tom Waits é Tom Waits e a música natalina dele é sobre um cartão de Natal recebido de uma prostituta do Memphis. Bom, pelo menos ele recebeu um cartãozinho.

Queen“Thank God Is Christmas”

Freddie Mercury e cia. também se amarravam no Bom Velhinho e agradecem a Deus pela chegada de dezembro. Ou então só estavam ansiosos pelo recesso que fim de ano, quem sabe.

Corey Taylor (do Slipknot e Stone Sour) – [email protected]$”

O vocalista do Slipknot e Stone Sour resolveu lançar sozinho sua “homenagem” ao Natal.

Eazy-E“Merry Motherfuckin’ Christmas”

O ex-NWA fazendo uma canção de Natal? Bom, vejam o título. Christmas in Compton, cara.

The Dickies“Silent Night”

Se vamos falar de clássicos, tem que ter “Noite Feliz”, né?

Tributos e homenagens: confira 18 músicas que são inspiradas em outros artistas e bandas

Read More
Kurt Cobain e Flea

Homenagens e tributos são comuns no mundo da música, já que entre os artistas sempre surgem influências, amizades e a admiração à grandes músicos. São comuns os tributos aos que já se foram, como no clássico single de Elton John “Candle In The Wind”, que já foi lançada como homenagem à Marilyn Monroe e Princesa Diana. Mas também existem as canções que se originam da mais pura admiração. Reuni 18 canções que prestam homenagens a outras bandas e artistas:

Queen – “Life Is Real”
Homenagem a John Lennon

A música do disco “Hot Space” foi composta em homenagem a John Lennon. Ela emula diferentes estilos de música de Lennon, e as letras são principalmente sobre quando Freddie Mercury soube que John havia morrido.

Motörhead – “R.A.M.O.N.E.S.”
Homenagem aos Ramones

“R.A.M.O.N.E.S.” é uma homenagem do Motörhead aos Ramones. Presente no álbum de 1991 “1916”, a música cita nominalmente todos os membros da banda novaiorquina, inclusive Dee Dee Ramone e Tommy Ramone,  que já haviam saído do grupo na época. Os próprios Ramones regravaram a música depois, em uma “auto-homenagem”.

Zé Ramalho – “Para Raul”
Homenagem a Raul Seixas

Zé Ramalho queria ter gravado um disco junto de Raul quando este estava vivo, mas infelizmente não rolou. Quando ele foi gravar o disco-tributo “Zé Ramalho canta Raul Seixas”, fez “Para Raul”, a última faixa do disco, em homenagem ao cantor. A escolha de músicas para o disco foi bem difícil, já que Paulo Coelho não permitiu que nenhum das músicas em que ele fazia parceria com Raulzito entrassem. “Achei grotesco, sem elegância nenhuma. Mas não há como uma pessoa me interromper“, comentou Zé.

Yes – “The Messenger”
Homenagem a Bob Marley

Sim, é isso mesmo: o Yes gravou reggae. No disco “The Ladder”, de 1999, saiu a música “The Messenger”, uma homenagem do grupo de rock progressivo ao nome mais conhecido do reggae: Bob Marley.

Raimundos – “Joey”
Homenagem a Joey Ramone

Os Raimundos sempre prestaram todas as reverências possíveis aos Ramones, seus mestres e maior inspiração musical. Quando Joey Ramone morreu, em 2001, inspirou os discípulos (em seu primeiro disco sem Rodolfo Abrantes nos vocais, “Kavookavala”) a gravar “Joey”, uma canção ramônica que homenageava o vocalista da banda punk.

Puff Daddy (ou Diddy, ou qualquer que seja o nome que ele usa hoje) – “I’ll Be Missing You”
Homenagem a Notorious B.I.G.

Sean “Puffy” Combs aproveitou um sample de The Police e a perda de um de seus melhores amigos pra criar uma homenagem que o colocou no topo das paradas do Disk Mtv em 1997 . Detalhe: Sting não cobrou nada pelo sample, e Faith Evans, que canta o refrão, é exposa do falecido Notorious B.I.G.

Titãs – “As Aventuras do Guitarrista Gourmet Atrás da Refeição Ideal”
Homenagem a Marcelo Fromer

No primeiro disco sem nenhuma participação do guitarrista Marcelo Fromer, falecido em 2001, os Titãs gravaram uma música bonita e melancólica para homenageá-lo. Cantada por Paulo Miklos, ela fecha o disco “Como Estão Vocês”, de 2003.

Red Hot Chili Peppers – “Tearjerker”
Homenagem a Kurt Cobain

O Red Hot Chili Peppers fez turnê com o Nirvana em 1992, logo depois que seu guitarrista John Frusciante saiu da banda e caiu em um vício em heroína. A música homenageia Kurt Cobain, que se suicidou em parte graças ao vício e saiu no disco “One Hot Minute”.

Green Day – “Amy”
Homenagem a Amy Winehouse

“Eu não a conheci, só achei que foi uma perda muito trágica. O interessante é que como o disco tem um clima de festa, ‘Amy’ vem com um gostinho do que são as consequências dessa farra”, disse o vocalista Billie Joe Armstrong sobre a música para a revista Rolling Stone.

Ben Folds – “Late”
Homenagem a Elliott Smith

Ben Folds fez turnê com Elliott Smith em 1998, quando ainda estava com o Ben Folds Five. A letra fala de Smith e cita até suas habilidades no basquete. “Joguei com ele e o Beck uma vez”, disse, “e Elliott estava fazendo cestas como se não houvesse amanhã.”

Roger Daltrey – “Under a Raging Moon”
Homenagem a Keith Moon

“Under A Raging Moon” é um tributo de Roger Daltrey a Keith Moon, baterista do The Who que morreu em 1978. John Entwistle, baixista da banda, queria tocar esta canção em vez de “Won’t Get Fooled Again” no Live Aid de 1985. Como Pete Townshend discordou, Entwistle gravou sua própria versão da música em seu disco “Left For Live”.

Roberto Carlos – “Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos”
Homenagem a Caetano Veloso

A letra desta música é uma homenagem a Caetano Veloso feita por Roberto Carlos e Erasmo Carlos. Foi composta quando Caetano encontrava-se no exílio, em Londres, para onde foi deportado em 1969 pela Ditadura Militar.

U2 – “Stuck In A Moment You Can’t Get Out Of”
Homenagem a Michael Hutchence

Bono escreveu esta sobre o suícidio de seu amigo Michael Hutchence, vocalista do INXS. A música é escrita na perspectiva do autor tendo uma discussão sobre o suícidio, em que ele tenta convencer Hutchence a não fazê-lo.

R.E.M. – “Let Me In”
Homenagem a Kurt Cobain

Esta música do disco “Monster” foi escrita após a morte de Cobain, que era fã do R.E.M. A banda ganhou muitas das guitarras do líder do Nirvana em 1994, dadas de presente por Courtney Love, e eles as usaram nesta música.

The Who – “Old Red Wine”
Homenagem a John Entwistle

Foi lançada na coletânea “Then and Now”, e usa um riff que chegou a ser tocado por Entwistle em seus últimos shows com o Who. Outra música que foi lançada na coletânea foi “Real Good Looking Boy”, uma homenagem à Elvis Presley.

The Queers – “Brian Wilson”
Homenagem a Brian Wilson

A música leva o nome de seu homenageado, o  maluquinho líder criativo dos melhores anos dos Beach Boys. “It’s a good thing, Brian Wilson / It’s a good thing we’ve got you around / It’s a good thing, Brian Wilson / ‘Cause you’ve got your feet on the ground”, diz a letra do grupo punk.

Só Pra Contrariar – “Tributo aos Mamonas”
Homenagem aos Mamonas Assassinas

Logo que os Mamonas Assassinas morreram no trágico acidente de 1996, surgiu esta homenagem de um grupo que não poderia ter menos a ver com o quinteto de Guarulhos: o Só Pra Contrariar. A música chora a perda dos Mamonas em uma balada triste.

Foo Fighters – “Friend Of a Friend”
Homenagem a Kurt Cobain

Escrita primeiramente quando Kurt Cobain ainda estava vivo, em sua demo com o codinome Pocketwatch “Late!”, Dave Grohl fala sobre Cobain e Krist Novoselic e suas impressões ao entrar no Nirvana. Mais tarde, ele gravou a música novamente no disco “In Your Honor”, dos Foo Fighters.

Confira 20 grandes apresentações no Musikaos, o sensacional programa de Gastão Moreira na TV Cultura

Read More
Gastão Moreira no Musikaos

Quando Gastão Moreira saiu da Mtv Brasil, em 1998, levou com ele um pouco do espírito inicial da emissora: o de revelar bandas e artistas brasileiros para o mundo e investir em cultura musical para os espectadores. Pois a TV Cultura sabia desse pensamento de Gastão e daí surgiu um dos melhores programas da década seguinte na TV aberta: o Musikaos. Um programa que foi ao ar entre 1999 e 2002 e juntava bandas independentes, shows ao vivo e música rolando o tempo todo. Ou seja: um prato cheio para o apresentador deitar e rolar, levando bandas e artistas incríveis ao palco, ao vivo, sem cortes e sem anestesia.

Reuni aqui 20 grandes momentos do Musikaos que devem ser assistidos para que você se pergunte “onde será que estão os bons programas musicais hoje em dia?”:

Charlie Brown Jr. e Raimundos

Quando estas eram as duas maiores bandas do país e apareciam em tudo que é programa, é lógico que eles iriam ao Musikaos, onde não precisavam depender de playback nem tocar apenas seus hits mais “digeríveis” como rolava em outras emissoras. Neste Especial de Natal, eles tocam “Rubão”, “Eu Quero Ver O Oco”, “Confisco”“Herbocinética”, “Não Deixe O Mar Te Engolir”, “União”, “Fogo Na Bomba”, “Puteiro em João Pessoa” e “Mulher de Fases”.

Ratos de Porão

Onde mais você veria o grupo de João Gordo e Jão destilando todo seu peso e ódio em plena TV aberta? (Sim, já rolou até no Programa da Angélica e do Gugu, mas isso nos anos 80, quando o nonsense imperava). Aqui, o RxDxPx manda “Beber Até Morrer”, “Agressão/Repressão”, “Crucificados Pelo Sistema”“Caos” e “Colisão”.

Cólera

A clássica banda de punk do hiper gente boa Redson sempre aparecia no Musikaos (até mais do que na Mtv Brasil, que tinha um certo “receio” de bandas punks mais… bem, punks). Aqui, o Cólera manda “Dia e Noite”, “Pela Paz” e “Medo”.

Dead Fish

Os capixabas tocaram no Musikaos antes de chegarem a ter seu momento ~habituées Mtv Brasil~, quando a emissora UHF tentava achar seu “novo CPM22” e apostou muitas fichas na banda com os clipes e shows do disco “Zero e Um”. Aqui, vemos a banda mandando ver com a clássicas “Noite”, “Sonho Médio” e “Afasia”.

Olho Seco

O programa nunca teve medo de investir no punk de raiz brasileiro (e Gastão tinha muito interesse pelo assunto, tanto que depois dirigiu o documentário “Botinada – A Origem do Punk no Brasil”) e o Olho Seco não aparecia na TV há 20 anos quando topou ir ao Musikaos. “Botas, Fuzis, Capacetes”, “Muito Obrigado” e “Todos Hipnotizados”.

Holly Tree

O Holly Tree chegou perto de estourar. O clipe de “Hey, Stop It” passava relativamente bastante na Mtv e é claro que eles foram ao Musikaos. Calcados no punk rock californiano e no Green Day pré-“Dookie”, eles tocaram “Intoxicated”, “City Paranoia” e “Living In The City”.

Marky Ramone and The Intruders

Marky Ramone já entrou na lista de artistas que estão sempre pelo Brasil, e é claro que, já que estava por aqui, ia passar no Musikaos. O único Ramone vivo apresentou seu projeto Marky Ramone and The Intruders com as músicas “I Want My Beer”, “3 Cheers For You”, “One Way Ride” e “Anxiety”.

UK Subs

Como Gastão fala no começo deste vídeo: UK Subs, só mesmo no Musikaos. O grupo inglês formado em 1976 foi um dos primeiros clássicos do punk inglês e mandou músicas incríveis como “Emotional Blackmail”“Warhead”, “Swat 96”“New York State Police”.

Buzzcocks

Por falar em bandas punk clássicas, o programa do Gastão recebeu os insuperáveis Buzzcocks, uma banda que deveria ser tão aclamada quanto os Ramones (se o mundo fosse justo). Esta apresentação prova isso: eles mandam os clássicos “Boredom”, “I Don’t Mind”, “You Know, You Can’t Help It”, “Orgasm Addict” e “Ever Fallen In Love (With Someone You Shouldn’t)

Pin Ups

O clássico grupo do underground brasileiro liderado por Alê Briganti mandou “Lack of Personality”, “It’s Your Turn” e “To All Own Friends”, músicas que marcaram a cena do rock dos final dos anos 80/começo dos 90.

Inkoma

Se o nome não te chamou a atenção, eu explico: o Inkoma é a banda da Pitty antes de ser Pitty, ou melhor, antes de seguir a carreira solo de sucesso e bombar na Mtv. “Salve Salvador” e “Revolução Mental” mostram que o negócio era um pouco mais hardcore do que o que viria a seguir.

Garage Fuzz

Os veteranos do hardcore santista que influenciaram muito da cena underground brasileira mandaram muito bem com “Observant”“Replace”“Embedded Needs”“When All The Things”.

Video Hits

O Video Hits de Diego Medina infelizmente durou pouco, lançando apenas um disco (impecável, na minha opinião). Misturando rock, pop e até um pouco do brega brasileiro (e sem medo de soar brega), o grupo apresentou aqui o single que mais fez sucesso, “(Vo)C”

RZO

O programa não era só de rock (embora o estilo dominasse na maioria das vezes). Um dos grupos de rap que já apareceram por lá foi o RZO, em sua formação clássica. Aqui, “Rap Bate Forte Como Box”.

Cássia Eller

Sim, Cássia Eller! A cantora que ia do Nirvana ao Cartola sem medo foi ao programa já no final de sua vida, quando fazia turnê de seu disco Acústico Mtv. Aqui, as versões de “Malandragem”, “Top Top” (Mutantes), “Quando A Maré Encher” (Nação Zumbi) e “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band” (Beatles).

Wry

“Jesus Beggar”“77:00”“New Radio Station”: três pauladas do Wry, banda de Sorocaba que fez muito barulho na cena independente e destilava influências de The Jesus and Mary Chain e My Bloody Valentine.

Gangrena Gasosa

Que outro lugar colocaria um ponto de macumba e depois o “saravá metal” do Gangrena Gasosa ao vivo sem medo de ser feliz? Confira o vôo das farofas hardcore em “Centro Do Pica Pau Amarelo”:

Los Hermanos

Os queridinhos Los Hermanos foram ao Musikaos quando ainda contavam com o baixista Patrick Laplan na formação e diziam “oi oi oi” antes de tocar o ska hardcore romântico “Descoberta”, do primeiro disco da banda. Marcelo Camelo ainda não se achava a reencarnação de Vinícius de Moraes:

Comunidade Nin-Jitsu

Os caras do Miami Bass roqueiro do Rio Grande do Sul já tinham seu clipe “Detetive” rolando em alta rotação na Mtv Brasil (especialmente no programa “Teleguiado”, do Cazé) e aqui apresentaram o hit, junto com “Rap do Trago”, uma versão de “Der Komissar”, hit do Falco:

Stephen Malkmus

Não chegou a rolar Pavement no programa de Gastão, mas Stephen Malkmus veio com Stephen Malkmus & The Jicks em 2000 e se apresentou na TV Cultura. Aqui, “Do Not Feed The Oysters”:

Saudades da MTV Brasil? Enxugue as lágrimas e crie a sua própria versão 2015 da finada emissora

Read More
Ex-VJs da Mtv

A MTV Brasil como a conhecemos viveu entre outubro de 1990 e o fatídico 30 de setembro de 2013, quando os sinais da emissora que revelou talentos, apresentou artistas e músicas que dominaram o Brasil e ajudou toda uma geração a crescer e se conscientizar sobre assuntos como a prevenção da Aids parou de funcionar e deu lugar a um daqueles infomerciais safados (que depois virou mais um canal com as famigeradas transmissões de cultos evangélicos). Não vou nem comentar sobre a ~nova~ MTV, em que a música não fica em segundo plano: fica em décimo oitavo, atrás de reality shows de namoro em todos os formatos possíveis. Eca.

De uma coisa podemos ter certeza: o legado ficou. E mais do que isso, com o Youtube (um dos meios que ajudou a matar o canal da Alfonso Bovero), você pode criar a sua própria programação da emissora. Sim, a MTV que você sempre amou vive, fragmentada em diversos canais e vídeos do Youtube. E é por isso que montei uma pequena lista de canais que podem ajudar você a montar uma playlist e simular a SUA MTV Brasil do jeito que preferir. Ligue no 32 UHF e vamos lá:

República do Kazagastão, de Gastão Moreira

Gastão Moreira, um dos melhores e mais bem informados musicalmente que já passaram pela Mtv Brasil, sempre foi responsável por manter o rock vivo e atual na emissora brasileira (com programas como o Gás Total e o Fúria Metal). Pois o ex-VJ agora tem um canal no Youtube onde faz o Heavy Lero (junto com Clemente, dos Inocentes), programa onde destrincha alguma banda ou cena específica, e lança vídeos com entrevistas e matérias que fez na finada Mtv.

Panelaço, com João Gordo

Um punk que não tinha talento nenhum pra apresentar clipes, mas que se mostrou um ótimo apresentador e entrevistador em programas como Garganta e Torcicolo, Gordo a Go-go e Gordo Visita (além de anarquizar o que era aceitável ser exibido na programação da TV em seu Gordo Freak Show). Hoje, João Gordo tem um ótimo canal no Youtube chamado Panelaço, onde entrevista personalidades e amigos em sua cozinha enquanto cozinha um rango vegano. Vale a pena conferir as receitas e as entrevistas, já que ele dá um pau em muito apresentadorzinho de talk show que se preocupa mais em fazer piadinhas do que conversar…

Hermes e Renato

O grupo de humor que era a cara da Mtv Brasil, com perucas esdrúxulas, piadas que ultrapassavam o limite do politicamente correto e criavam bordões que não pareciam bordões. O grupo continua na ativa após a morte de seu fundador e cabeça, Fausto Fanti, em 2014. Hoje em dia estão prestes a começar uma nova temporada (ainda com cenas de Fausto) no Canal FX e possuem um canal no Youtube onde pouco a pouco disponibilizam suas sketchs em boa qualidade. Ah, você também pode encontrar vídeos deles (muitos!) no canal Pérolas Hermes e Renato.

Piores Clipes do Mundo, com Marcos Mion

Lembram quando Marcos Mion era um rapaz magrelo e desengonçado que destrinchava com louvor as tosquices que muitos dos clipes da Mtv tinham? Pois é: com o Youtube, você pode viajar no tempo e reviver o clássico programa Os Piores Clipes do Mundo, com pérolas videoclípticas como “Mama África”.

Fudêncio e Seus Amigos

Desenho baseado no boneco que João Gordo criou durante o programa Garganta e Torcicolo, contava com personagens incríveis e críticas ácidas a tudo e a todos. O mais próximo que o Brasil já teve de um South Park ou Family Guy. Criado por Thiago Martins, Marco Pavão e Flávia Boggio, o desenho não tem um canal oficial no Youtube, mas quase todos os episódios estão por lá:

Amada Foca, com Bruno Sutter, Daniel Furlan, Bento Ribeiro e Paulinho Serra

Pra quem gostava dos últimos dias do Furo Mtv, o programa que juntou a raspa do tacho do humor da Mtv formou o grupo Amada Foca, que posta sketchs e uma versão do finado Furo em seu canal:

Gato & Gata, com Chuck Hipolitho e Gaía Passarelli

Os últimos conhecedores de música a apresentarem programas na Mtv Brasil em seus últimos dias (e responsáveis por eu ter assistido um belo clipe dos Pixies antes de ir pro trabalho em um dia de 2014), o ex-casal teve esse belo canal que em muito lembrava os bons momentos dos momentos finais da emissora UHF. O canal, como a Mtv, já ficou pra trás, mas os vídeos continuam disponíveis.

Clipes

Quanto aos clipes, eu não preciso nem falar nada, né? O Youtube tem um acervo muito maior do que a própria Mtv jamais teve, incluindo inclusive bandas independentes (que na época eram chamados de “democlipes” e já revelaram bandas como Raimundos e Pato Fu) e os clipes de grandes bandas que a Mtv Brasil nunca passou (ou até passou, mas nunca conseguiram pegar o lugar do Hanson no topo do Disk Mtv). Exemplo? “Stripsearch”, do Faith No More, que eu nem sabia que tinha clipe.

Além disso, o Youtube é cheio de canais com shows completos e documentários musicais e outros ex-VJs prometem novidades no Youtube em breve (como Luiz Thunderbird prometeu na entrevista que deu para o Crush em Hi-Fi Luiz Thunderbird). Conhece algum outro canal que entraria na programação da SUA Mtv? Conte pra nós nos comentários!

Alf, ex-Rumbora, prepara seu primeiro disco solo no esquema de crowdfunding e não descarta uma reunião do Rumbora

Read More

alf-tenha-o-novo-disco-em-primeira-mao-193246

Alf não veio do planeta Melmac ou animou as manhãs da Globo com dublagem de Orlando Drummond, mas como seu xará alienígena, também é teimoso. O ex-Rumbora se mantém na ativa com um projeto de crowdfunding para lançar seu primeiro disco solo, depois do fim do projeto Supergalo e do lançamento de singles como “O Sol Saiu”, em 2013.

“Desde que me entendo por gente a música move minha vida. É minha primeira memória, quando aos dois anos de idade pegava a vitrola de brinquedo da minha irmã e ouvia apaixonadamente os discos da casa. É com o que, desde sempre, me comunico, me reinvento, acho meu lugar no mundo e sou salvo todos os dias”, conta na página do crowdfunding.

“O novo disco contará com 8 músicas inéditas pinçadas entre várias que compus nesses anos de muita dedicação e de bônus, um EP digital com as 3 canções que lancei em 2013 (“O Sol Saiu”, “Guarde Um Lugar” “Pra Onda Boa Me Levar”), clipes e muitas outras recompensas para quem se aventurar nessa comigo”, explica o músico.

Para colaborar com o crowdfunding do Alf e receber o novo trabalho em sua casa, basta ir à página do projeto: http://www.kickante.com.br/campanhas/alf-tenha-o-novo-disco-em-primeira-mao

Conversei com Alf sobre o crowdfunding, sua carreira e o papel do rock no cenário musical brasileiro atual:

– Você está fazendo um crowdfunding para o lançamento de seu primeiro disco solo. O que vai rolar nesse disco?

Comecei esse processo entre o fim de 2010 e o começo de 2011. Me enfurnei no meu home-studio e experimentei várias possibilidades e influências de coisas que ouço desde criança até hoje. A atmosfera é noturna com atenção especial à batidas tribais e hipnóticas, grooves maliciosos, riffs maldosos, melodias que contassem uma história e letras inspiradas em amor, sexo, psicodelia e poesia.

– Pelo que li, algumas músicas vão ser gravadas no Estúdio Costella, do Chuck Hipolitho. Sempre vejo ótimas bandas irem gravar por lá. O que o Estúdio do Chuck tem de especial?

O astral é demais. É um lugar muito à vontade e as coisas fluem numa naturalidade muito boa. Além do Chuck ser um grande parceiro. O astral de lá é diretamente ligado à pessoa dele e a forma desprendida como trabalha.

– Você gravou todo o disco sozinho ou tem participações de outros músicos?

Gravei as prés em casa no esquema das músicas que lancei em 2013, mas vamos regravar tudo com todas as válvulas, tambores e microfones que temos direito. Vou tocar boa parte dos instrumentos, mas dessa vez vou ter amigos muito especiais participando em algumas canções. Iuri Rio Branco e Pedro Souto que tocam comigo, por exemplo. Devem rolar algumas surpresas também.

– Qual a sua opinião sobre esse sistema de crowdfundings? Ele ajuda bandas e artistas independentes a construírem sua carreira?

Acho o crowdfunding uma idéia incrível. Uma relação direta com quem admira seu trabalho e acredita nele. E uma solução muito saudável pro momento que vivemos.

– Qual é o papel do rock na cena musical brasileira hoje em dia?

Infelizmente, o rock hoje em dia, em sua maioria, está de coadjuvante. É um estilo que precisa de fãs verdadeiros que se interessam em acompanhar a carreira dos artistas (e não suas vidas) e mergulhar no universo que está sendo explorado. Com a rapidez e avalanche de informação em que vivemos tudo fica na superfície. Os 15 minutos de fama os quais o Andy Warhol profetizou. Talvez isso mude. Me parece um grande deslumbre, mas o tempo é o senhor de tudo.

– Quais são suas principais influências musicais nesse disco?

É um caldeirão maluco onde cabem a psicodelia e as trilhas sonoras dos anos 60, os riffs e grooves dos anos 70, o minimalismo, neopsicodelismo e futurismo dos anos 80 e a música brasileira tribal e percussiva.

– Qual a sua opinião sobre a febre da música em streaming?

É muito prático, né? E a gente gosta de praticidade. Por isso as coisas caminharam pra onde estão. O desafio é transformar a experiência em algo mais envolvente. Acho legal porque, ao menos, existem as discografias. As pessoas ficam sabendo qual o disco tem tal música. Tem biografias, fotos. Essas informações estavam se perdendo pelo caminho. Poderiam ter encartes inteiros, letras. O pacote completo. E pagarem melhor os artistas.

– Você já passou por grandes bandas do rock nacional, como Câmbio Negro, Rumbora, Raimundos e Supergalo. O que cada banda te trouxe de experiência?

No Câmbio Negro pude externar a minha base de baixista altamente influenciado pela música negra norte-americana como o funk e o soul e viver o hip-hop que também é muito importante na minha formação. O Rumbora trouxe a realização de fazer uma banda com 4 grandes amigos de infância e tocar o coração de muita gente de uma forma que ressoa até hoje. Tomamos a liberdade de explorar todo e qualquer tipo de música que nos interessasse e foi de um aprendizado sem preço. Nos Raimundos tive a honra de fazer parte de uma entidade do rock brasileiro e girar o Brasil inteiro (além de uma tour nos EUA) com grandes amigos numa estrutura ultra-profissional. No Supergalo o desafio foi tentar ser o mais direto possível nas composições e explorar os novos tempos através de tournées por todo o Brasil, Argentina e Europa em formato totalmente independente. Mais uma vez, com grandes amigos.

– Existe a possibilidade de uma reunião do Rumbora?

Uma hora a gente consegue coordenar as agendas.

– Já me falaram que quando o Rodolfo saiu dos Raimundos, chegou a ser falado que você assumiria o posto. É verdade? Existiu esse convite?

Não. Desde o começo incentivei o Digão a meter as caras. O convite foi feito para tocar o baixo quando o Canisso saiu, o que acabou acontecendo de 2002 à 2007.

– Quais bandas e artistas independentes você acha que o Brasil deveria conhecer e ainda não conhece?

Tem muita coisa boa por aí e não é de hoje. Quem acompanha tá ligado, mas o Brasil todo deveria conhecer. Tem pra tudo que é gosto. Do folk ao pesado. Rios Voadores, Sexy-Fi, Boogarins, Far From Alaska, Camarones Orquestra Guitarrística, The Neves, The Baggios, Galinha Preta, Optical Faze, Rocca Vegas, Darshan, Scalene, Talma & Gadelha, Astros, Nevilton e bandas como Cascadura e Vespas Mandarinas que já tem seu espaço mas mereciam estar em outro patamar.

1229986_484339848352495_557742262_n

Conheça as 20 melhores músicas com gatos, bichanos e felinos em suas letras

Read More

cat-with-headphones

A internet está cheia de gatos. Em memes, vídeos, fotos, Instagram, longcats e tudo o mais. E como não sorrir ao ver todos estes gatos sendo fofos na tela de seu computador? Pois é, a música também está cheia de felinos passeando por aí. Desde Katy Perry botando as garras de fora em “Roar” até bandas com nomes como Pantera e Pussycat Dolls.

Selecionei 20 músicas que se lambem pra tomar banho e ronronam quando estão felizes. Prepare o Whiskas Sachê e segura as cabeçadas:

Elton JohnHonky Cat

“Honky cat” é uma expressão que significa “cara legal”, e a música na verdade fala sobre o deslumbramento com a cidade e a vontade de voltar para o interior, onde a vida é mais simples.

SupersuckersGato Negro

Assim, em português mesmo. Uma frase bem aplicável à maioria dos gatos está na letra: “when I’m not sleeping, I’m taking a nap”.

Roberto CarlosNegro Gato

Um clássico do rei Robertão. “Sete vidas tenho para viver / Sete chances tenho para vencer / Mas se não comer acabo num buraco / eu sou um Negro Gato”

Tom JonesWhat’s New Pussycat?

O esquema do Tom Jones é mais “gatinhas” humanas do que felinas, mas enfim. “I’ve got flowers / And lots of hours / To spend with you / So go and powder your cute little pussycat nose!”

Stray CatsStray Cat Strut

A dura vida de um malandríssimo gato de rua contada por Brian Setzer e companhia é uma das músicas mais felinas do mundo. “Stray cat strut I’m a lady’s cat / A feline casanova / Hey man! That’s sad / Get a shoe thrown at me from a mean old man / Get my dinner from a garbage can”

tumblr_mwxy2ep54d1refacgo1_500

PoisonLook What The Cat Dragged In

Aquela velha mania dos gatos de dar “presentes” para seus donos (normalmente lixo e bichos mortos) é a origem da expressão “look what the cat dragged in”, que rendeu músicas como esta do Poison.

David BowieCat People

Se você tá lendo esse post, deve ser “cat people”, então apague o fogo com gasolina como Bowie manda.

Johnny CashMean-Eyed Cat

A história de como Johnny Cash cruzou com um bichano de olhar maldoso que nunca mais foi embora de sua vida.

Ugly Kid JoeCats in The Cradle

Uma música sobre um pai ausente. Ah, ela cita gatos.

The CureThe Love Cats

Como não colocar esse clássico em que Robert Smith mia e fala sobre hábitos de gatinhos amorosos o tempo todo?

tumblr_nkgjyt0WV01qhwmnpo1_500

Ratos de PorãoOlho de Gato

Um grande cover do Cólera: “Olho de gato / Pele de pato / Almoçando eu vi, Não! / A sua orelha no meu prato”

Balão MágicoTem Gato na Tuba

A história do gato que entrou na tuba do Serafim e a tuba tocou assim: “Pom pom pom MIAU”

https://www.youtube.com/watch?v=oFf0Wiyvgok

SaltimbancosHistória de Uma Gata

A clássica música de Chico Buarque para os Saltimbancos que diz que gatos já nascem pobres, porém, já nascem livres.

Phoebe BuffaySmelly Cat

A música da doidinha de Friends conta como um gatinho fedido é rechaçado por muitos, apesar de não ter culpa. “Smelly Cat, Smelly Cat / what are they feeding you? / Smelly Cat, Smelly Cat / It’s not your fault”

RaimundosGato da Rosinha

O cover de Zenilton feito pelos Raimundos fala do gatinho Danado, que todo mundo acariciava, brincava e adorava.

tumblr_mxv4c7PDrM1s199fdo1_400

The CrampsCan Your Pussy Do The Dog?

Tá, aqui “pussy” é tão trocadilheiro quanto na música dos Raimundos que apareceu ali.

Marina – O Gato

Marina fez uma homenagem aos felinos mais amados do mundo no disco “Arca de Noé”, de 1980.

The CoastersThree Cool Cats

Três gatos bacanudos passeiam por aí na voz do The Coasters. “Three cool cats, three cool cats / Parked on the corner in a beat-up car / Dividing up a nickel candy bar”

PJ HarveyCat On The Wall

“You got me jumpin’ like a cat on a wall”, diz PJ Harvey.

The Presidents of The USAKitty

A música começa com “Meow, meow, meow, meow, meow, meow”. Como deixá-la de fora da lista?

Bonus Track

Fatboy SlimThe Joker

Esta aqui na verdade não fala sobre gatos, mas assista o clipe e perceba como ela merece seu lugar na lista. MEOW!

A geração Mtv continua viva e respirando no Youtube: Raimundos, Matanza e Offspring lançam novos clipes

Read More

Três bandas que fizeram história nos áureos tempos da Mtv Brasil quando esta ainda falava mais de música do que de realities de paquera estão com clipes novos.

O Raimundos lança “Gordelícia”, música de seu disco “Cantigas de Roda”, de 2014. O disco traz um retorno ao espírito do grupo em suas origens, como no disco de estreia de 1994. A música é um ska, então o clipe tem todo aquele clima skazeiro, com os metais em destaque e tudo mais.

Já o Matanza apresenta “A Sua Assinatura”, primeiro single de seu próximo disco, “Pior Cenário Possível”. O clipe é ao vivo no estúdio e o som é o que se espera do Matanza, o velho countrycore com letras pessimistas, amargas e cheias de capetas.

E por fim, o Offspring volta à cena com “Coming For You”, single do décimo disco, a ser lançado ainda este ano. Se você tem medo de palhaços, não dê o play: o clipe mostra tretas encarniçadas da galera palhaça. A música não é a melhor coisa que o Offspring já fez, mas pelo menos foge da péssima ideia de colocar influências do que está na moda no primeiro single, como na horrenda “Cruising California” do último disco, “Days Go By”.