5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Vinicius Mendes, do selo Pessoa que Voa

Read More
Vinicius Mendes

Todo mundo tem seus gostos, preferências e, é claro, seus garimpos no mundo da música. Com certeza tem alguma banda ou artista que só você conhece e faz de tudo para espalhar o som entre seus amigos e conhecidos. “Todo mundo precisa conhecer isso, é genial!” Se você é aficionado por música, provavelmente tem uma pequena coleção pessoal de singles e discos que não fizeram sucesso e a mídia não descobriu (ou ainda vai descobrir, quem sabe) que gostaria que todo o planeta estivesse cantando.

Pois bem: já que temos tantos amantes da música querendo recomendar, o Crush em Hi-Fi resolveu abrir esse espaço. Na coluna “5 Pérolas Musicais”, artistas, músicos, blogueiros, jornalistas, DJs, VJs e todos que têm um coração batendo no ritmo da música recomendarão 5 músicas que todo o planeta PRECISA conhecer. Hoje, o convidado é Vinicius Mendes, do selo Pessoa Que Voa.

Weird Fingers“Seus Dentes Vão Se Amarelar”

Encaro essa música como um tributo ao envelhecer, e como encarar esse destino parece ser muito pra digerir de uma vez só, o que ela demonstra muito bem com o jeito que cresce, até chegar no crescendo caótico do final. A gaita que fica no fundo a música inteira parecem pessoas que passam por nossas vidas de forma tão passageira, como fantasmas. Acho genial construir uma narrativa assim, usando letra e música juntas.

Right Away, Great Captain!“Blame”

Gosto muito do jeito que o Andy Hull (que também é vocalista do Manchester Orchestra) compõe e toca. Ele faz a música crescer só na voz e no violão de um jeito muito natural e dinâmico, que me inspirou muito enquanto compunha pro “Mercúrio”. Os três discos desse projeto compartilham uma história só entre eles, mas ao mesmo tempo soam muito sinceros e pessoais.

Amanda Palmer“Machete”

Sempre que escuto essa me dá aquela dor na garganta, sabe? A história por trás dessa é muito bonita, sobre um amigo de longa data dela vítima de câncer. Faz você pensar de pessoas queridas que passaram por isso e como seguir em frente depois de tudo.

Lia Kapp“Fire & Air”

A Lia me inspira muito, acho que ela é uma das melhores artistas do país, sem hipérbole. O disco mais recente dela, o “Metamorphösis”, é um trabalho conceitual absurdo, que não se traduz só em música, mas em vídeo, foto e no show também. Essa música parece um cabo de guerra quando o refrão entra e toda aquela tensão do verso é liberada, um hino trip-hop.

Joanna Newsom“Only Skin”

Minha compositora favorita, tudo que ela fez é incrível. Gosto muito do jeito que ela compõe, cada canção parece ser um mundinho contido em si, cada verso parece pensado e ajustado à perfeição. Tudo nessa música, da letra até o arranjo de cordas e a harpa faz a história de um casal virar uma epopéia de quase 17 minutos.