Maria Alcina levou Caetano e Carnaval para o palco do Teatro Porto Seguro

Read More

Maria Alcina aproveitou a terça-feira de Carnaval e o excelente palco do Teatro Porto Seguro para lançar a versão em vinil de seu mais recente trabalho intitulado “Espirito de Tudo”, onde nos presenteia com versões inusitadas das canções de Caetano Veloso.

A cantora, sempre muito irreverente e com looks caprichados, impressionou com suas versões repaginadas e o excelente alcance vocal. Alcina está cantando maravilhosamente bem e a potência de sua voz fez com que canções como “Tropicália”, “Fora da Ordem” e “Os Mais Doces dos Barbaros” ganhassem um peso extra, principalmente por serem letras extremamente politizadas.

Destacaram-se as interpretações de “Rocks” e “Eu Sou Alcina”, essa canção que foi composta por Zeca Baleiro em homenagem a cantora e é a primeira faixa do seu trabalho anterior, o elogiado “De Normal Bastam os Outros”.

Ao interpretar a canção “Língua”, a cantora dirigiu-se à plateia e interagiu muito com o público presente, que por sinal ocupava todos os assentos do teatro. Nesse momento o público já estava ganho, mas Maria Alcina ainda nos surpreendeu com “Prenda o Tadeu”, “Calor na Bacurinha” e “Fio Maravilha”, hits obrigatórios em suas apresentações.

Importante citar a genialidade da banda que acompanha a cantora, liderada pelo guitarrista e diretor musical Rovilson Pascoal, o som apresentado nos remete ao apresentado pelo próprio Caetano durante a Trilogia Cê, porém temos um tempero especial que só Maria Alcina poderia incluir. Caetano deve estar orgulhoso!

Maria Alcina deveria ser presença obrigatória em todos os carnavais. O que presenciamos no palco (e na plateia) do Teatro Porto Seguro foi uma cantora segura, com um excelente domínio de espaço e extremamente agradecida por viver esse momento especial. Importante ressaltar o trabalho do produtor Thiago Marques Luiz, responsável pelos últimos lançamentos da cantora e que colocou Maria Alcina novamente no lugar de destaque que ela merece.

Fotos: Edson Lopes Jr. 

“É só amor” para a máquina de louco no pré-carnaval baiano com Baiana System. Já a segurança…

Read More
Baiana System
Foto: Elias Dantas/Ag. Haack

Baiana System mostrou mais uma vez o porquê de ser uma das bandas de maior crescimento e sucesso no Brasil. O “navio pirata” liderado por Russo Passapusso fez a sua tradicional participação no pré-carnaval baiano e arrastou consigo uma multidão. O trio fez o circuito inverso Ondina – Barra (dois bairros de Salvador), como já é tradicional no Bloco “Furdunço” que traz consigo a proposta de colocar na rua trios de menor porte e atrações gratuitas na preparação para o carnaval.

No setlist, faixas de diferentes épocas da banda. Desde “Terapia” e “Amendoim Pão de Mel”, de 2013, passando por boa parte do álbum “Duas Cidades” de 2016, até as mais recentes “Capim Guiné” (parceria com Titica e Margareth Menezes) e “Alfazema” (parceria com a Nação Zumbi). Ao lado da banda, participações de grandes nomes como BNegão, Vandal e o rapper baiano em ascensão Hiran. Os dois primeiros já figurinhas carimbadas nos shows da máquina de louco. Acrescentaram bem à performance.

Infelizmente nem tudo é de se comemorar. Mesmo que a qualidade musical da banda tenha se feito presente, como é de costume, a multidão que foi arrastada cobrou seu preço. Quem já foi a shows em carnavais anteriores sabe bem que essa com certeza não foi das melhores experiências com o “navio pirata”. Em alguns momentos o clima no circuito foi um tanto quanto sufocante e deu agonia. Até aí não seria um grande problema, porque a alta qualidade musical se mantinha, era possível seguir pulando junto com o movimento da massa e dava pra curtir, volta e meia nas clássicas rodas feitas pelo público.

Russo conduzia com todo o cuidado o trio e fazia de tudo para acalmar, na medida do possível, a massa sedenta por música e pela loucura do grave baiano, aos gritos constantes de “é só amor”, fazendo discursos contra brigas, roubos, etc. A cada momento que alguma coisa parecia errada, o trio e a música paravam, fato que infelizmente se fez mais presente do que seria ideal, mas que asseguravam o importante clima de paz.  Russo pedia palmas e atenção para deixar a “segurança” passar. Em algum momento no meio do circuito, entretanto, o “pacto” feito com a Polícia Militar da Bahia se rompeu e suas ações mostraram o que tem de pior na corporação. Tudo filmado por várias câmeras da equipe da banda. Em algum momento o show de horrores pode ser revelado com detalhes ao grande público. Vamos esperar.

A segunda metade do circuito foi tensa com base no despreparo da polícia, com o medo que volta e meia se fazia presente de levar porradas de cassetete, principalmente para os que são alvos preferenciais da corporação (se é que você me entende… cidade mais negra do Brasil e coisa e tal). Mesmo assim, Russo conduziu da maneira que pôde a tensão e ainda foi possível curtir o som e pular bastante, principalmente quando ao final do circuito a banda tocou o sucesso “Playsom” e a plateia enlouqueceu, tendo o Farol da Barra como cenário de fundo.

Se a “segurança” promoveu um show de horrores, a máquina de louco compensou e promoveu um show de sucessos. O saldo da apresentação se mantém como positivo e Baiana System continua a empolgar, sem perder a sua essência de outros carnavais. Tudo o que os fãs esperam é que as próximas apresentações de Baiana no carnaval de Salvador sejam mais tranquilas.

Longa vida à Máquina de Louco e ao Furdunço!

Vídeos da passagem do trio “Navio Pirata” – todos os créditos aos donos das postagens

Gente não postei nada de Fuzuê e Furdunço porque trabalhei no fim de semana, mas to recebendo os videos de ontem e BEU DEUS ?#Furdunço #Carnaval #Salvador #Bahia [Enviado por Jayme Brandão]

Posted by Guia de Sobrevivência do Soteropobretano on Monday, February 5, 2018

O Navio Pirata do BaianaSystem não afunda!

Posted by Jorge Bizzi on Sunday, February 4, 2018

Anote na agenda! Eventos recomendados da semana – 25/02 a 02/03/2017

Read More
Quintophenia

Nem no Carnaval os eventos de música independente param. Prepare-se e anote na agendinha!

Sexta-feira – 24/02

18hQuintophenia (Simplão de Tudo) – Um verdadeiro Woodstock independente acontecerá entre os dias 24 de fevereiro e 01 de março no Simplão de Tudo, em Paranapiacaba. No Carnarock do Simplão vão rolar shows de Mustache e os Apaches, Banda Ecologia (Tributo a Raul Seixas), Jonnata Doll & Os Garotos Solventes, Verônica Decide Morrer, Mescalines, Molodoys, Der Baum, Dirty Jack (ACDC Cover) e Nicolas Não Tem Banda. Melhor que a escalação do Lollapalooza! Confira o evento.

Sábado – 25/02

14hAnti-Carnaval 2 (Praça Eugene Boudin) – A 2° edição do Anti-Carnaval comemora 3 anos do projeto Voz do Underground. Shows com as bandas DizavençaBanda DesconhecidoAtaque Fatal e Contraste. Confira o evento.

16hCarnaval Punk (Morfeus Club) – O Morfeus Club recebe o Carnaval mais punk de São Paulo com 23 bandas e uma surpresa, que só será revelada no dia. Prepare-se para a pancadaria pogo carnavalesca com as bandas Polemik, Situation Nine, Sub Existência, Tarja Preta, Mandriões, Maldita Ambição, Head Bones, Lokalt, DOPS, Pé Sujus, Amnésia Coletiva, Hard Core Por Ódio, Filhos de Inácio, Dependentes Químicos, Kaos 64, Lobotomia, DZK, Pacto Social, Repudyio, Esgoto, Periferia SA, Invasores de Cérebros e Olho Seco! Confira o evento.

Domingo – 26/02

20hLetty and the Goos (Pico do Macaco) – No domingo de Carnaval você confere a banda Letty and the Goos tocando pela primeira vez em São Paulo no Pico do Macaco! Punk carnavalesco com esquema de entrada “quanto vale o show?”: deixe na caixinha o que o seu bolso e o coração mandarem! Confira o evento.

Segunda-feira – 27/02 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Terça-feira – 28/02 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Quarta-feira – 01/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Quinta-feira – 02/03 – em aberto (sabe de algum evento? avise que a gente atualiza!)

Abre alas, que o Carnaval pede passagem. As águas vão rolar?

1mar2014---alem-da-ala-o-rock-do-kiss-tambem-foi-homenageado-com-um-carro-alegorico-1393657642715_956x500

Amanhã começamos os quatro dias que todo brasileiro espera o ano inteiro. Chegou o Carnaval, e quer você ame ou odeie o feriado mais popular do Brasil, ele é uma verdadeira entidade que varre o país até a quarta-feira de cinzas, quando tudo volta ao normal e o ano começa de verdade.

Não, você não precisa adorar samba pra aproveitar o Carnaval (mas que fique bem claro que quem não gosta de samba, bom sujeito não é). Bom, de qualquer forma, acho que um blog que se diz musical não fazer pelo menos um postzinho remetendo à folia não estaria correto, né. Vamos a alguns momentos carnavalescos para acompanharem você, folião, no feriado que bate à porta.

Red Hot Chili Peppers com a Escola de Samba Mocidade Independente no Hollywood Rock de 1993

Ainda com um Anthony Kiedis cabeludo e Arik Marshall na guitarra, o show foi um dos últimos da turnê de “BloodSugarSexMagik”. Lógico que o quarteto que é fã de funk (até o atual, já que Flea ama o MC Guimê) e percussão não ia deixar passar a oportunidade de se misturar com uma bateria de escola de samba, né?

João Gordo e Clemente e o show Pagode Nuclear

Aqui em São Paulo temos um bloco de Carnaval especialmente dedicado ao punk, o Bloco 77 – Os Originais do Punk. Mas João Gordo e Clemente (Inocentes e Plebe Rude), junto com Mingau (ex-Ratos de Porão, atual Ultraje a Rigor) já haviam mostrado que punk também samba no projeto Pagode Nuclear, onde cantavam clássicos do punk em versão samba. Como “Pânico em SP”, que também está no repertório do bloquinho.

Carnaval é Legal, da finada Mtv Brasil

Sim, são muitos vídeos, e eu nem coloquei todos que encontrei. A Mtv Brasil sempre teve boas ideias para as datas comemorativas, e nos anos 90, o rock dominava a programação. Então, porque não misturá-lo às populares marchinhas de Carnaval? Tem de tudo: Raimundos, Skank, Virna Lisi, Chico Science, Garage Fuzz… todos caindo no samba e mandando as marchinhas mais populares de todos Carnavais.

Carnaval Metaleza de Bruno Sutter

Em 2013 a Mtv Brasil como a conhecíamos morreu, foi pro saco, tombou na vala. Isso foi péssimo, mas rendeu momentos incríveis de nostalgia e o último Carnaval da emissora, que chutou o balde e chamou Bruno Sutter (vulgo Detonator, ex-Massacration e ex-Hermes e Renato) pra fazer o Carnaval Metaleza. Não foi só a vinheta: rolaram escolas de samba (como a Kiss 9, Van Van Halen e Unidos da Vila Metallica) apuração e notas e tudo mais que o Carnaval possui!

Sepultura – Chaos BC

A mistura de metal com bateria de escola de samba vinda do Sepultura saiu no disco Chaos A.D. é meio que um remix com bateria de escola de samba e música eletrônica. Um samba do crioulo doido, na verdade, mas já era um prenúncio do que viria em “Roots”.

Então, bom Carnaval a todos. Divirtam-se e na quarta-feira de cinzas estamos de volta!