“Poppy, garagey e shoegazey”: quarteto australiano Major Leagues prepara seu primeiro disco

Major Leagues

Segundo o Major Leagues, já que Brisbane, na Austrália, é uma cidade pequena, possui uma cena musical independente muito variada e unida. Isso influiu na fundação da banda, em 2012, unindo amigos de faculdade e pessoas que estavam presentes no underground musical da cidade. Formada por Jaimee Fryer (guitarra e vocais), Anna (guitarra e vocais), Jake (bateria) e Vlada (baixo e vocais) e influenciada por gente como Pavement, Yuck, Yo La Tengo, Real Estate, My Bloody Valentine, a banda lançou o EP “Dream States” ano passado e no momento está preparando seu primeiro álbum com som “poppy, garagey e shogazey”, que deve sair ainda este ano.

Conversei com Anna sobre o EP, a carreira da banda, o sexismo no mundo da música e a preparação para o primeiro disco:

– Como a banda começou?

Vlada e eu nos encontramos na universidade. Então, nós conhecemos Jake e Jaimee pela cena musical em Brisbane. Brisbane é uma bonita cidade pequena, sendo que a cena musical é muito unida. Assim que eu tive algumas canções escritas nas mãos, todos nós meio que nos juntamos e gravamos nosso primeiro EP muito rapidamente.

– Quais as suas maiores influências musicais?

Somos todos influenciados por um monte de diferentes tipos de música. Nós todos amamos um monte de música dos 90s e shoegaze. Vlada é louca por música pop, ela é obcecada pelas novas de Beyoncé no momento. A Jaimee ama bandas como Blonde Redhead e Beach House e Jake gosta um pouco de tudo, de Wes Montgomery até Justin Bieber! Eu amo um monte de coisas sujas e lo-fi e Elliott Smith 🙂

– Como surgiu o nome Major Leagues?

Uma das minhas bandas favoritas de todos os tempos, Pavement, tem uma canção chamada “Major Leagues”, que é ótima!

– Falem um pouco mais sobre “Dream States”, o seu mais recente trabalho. (Aliás, que bela capa!)

Nós gravamos há um bom tempo atrás, metade das músicas foram escritas por mim e metade por Jaimee. Nós o chamamos de “Dream States”, porque é sobre fazer muitas transições, algumas geográficas, algumas emocionais/pessoais. Eu sinto que quando passo por grandes mudanças geralmente não sinto que sejam bastante reais, por isso é como estar em um estado de sonho constante. Estamos realmente orgulhosos do EP, mas também estamos animados para começar a gravar nosso novo álbum! A foto da capa foi feita pelo minha mãe nos anos 70/80 na praia. O menino nela é meu tio!

Major Leagues

– Como foi o processo criativo para o álbum?

Jaimee e eu escrevemos esqueletos para as canções e depois fomos todos para estúdios de nossos amigos para que Jake gravasse a bateria para elas. O resto nós gravamos no quarto de Vlada. Nosso amigo Miro nos ajudou a gravá-las e Fergus Miller (Bored Nothing, Wedding Ring Bells) mixou.

– Como você definiria seu som?

Somos muito ruins em responder a esta pergunta. Eu acho que somos um pouco jangly, poppy, garagey, e um pouco shoegazey?

– O que vocês acham sobre o sexismo na indústria musical? Vocês já sentiram isso na pele?

Eu acho que é um problema enorme. Eu acho que está sendo discutido muito mais nos dias de hoje, especialmente com mulheres como Kesha falando contra o sexismo e sobre suas experiências pessoais com ele. É ótimo que essas coisas estão sendo trazidas à luz em vez de serem acobertadas como teria sido no passado, mas ainda há um grande caminho a percorrer para a igualdade se tornar uma realidade.

– Como é o seu processo de composição?

Eu normalmente apenas escrevo uma parte de guitarra ou da letra e, em seguida, uma linha vocal, depois levo para os outros adicionarem todas as outras camadas.

Major Leagues

– Quais são os próximos passos da Major Leagues em 2016?

Acabamos de terminar uma turnê com nossos bons amigos da Flowertruck. O próximo passo será gravar o nosso álbum, que será lançado ainda este ano. Gostaríamos muito de viajar pelo exterior em algum momento em breve, também. Talvez possamos ir visitá-lo (risos)!

– Recomende bandas e artistas (especialmente se forem independentes!) que chamaram sua atenção ultimamente.

Estas são todas australianas: Flowertruck, Big White, Tiny Little Houses, Babaganouj, Totally Mild, Wedding Ring Bells, Summer Flake, Julia Why.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *