Plano-sequência: os melhores clipes brasileiros usando apenas um take

11 de fevereiro de 2015 2 Por João Pedro Ramos

Dias atrás, compartilhei com vocês uma lista do site WatchMojo.com com um top 10 de clipes internacionais que usam apenas um take. Bom, depois daquilo, começaram a vir à cabeça diversas bandas brasileiras que usaram tal artifício. E como sou fã de listas, resolvi criar uma com clipes brasileiros com plano-sequência.

Pra começar, um que eu citei no post original e acabou me inspirando a criar esta lista. Ah, Rob Fleming, a culpa desse meu vício por listas é toda sua.

Os Paralamas do Sucesso – La Bella Luna Este chamou a atenção quando saiu. O negócio do plano-sequência foi muito alardeado na época, com making of passando direto na Mtv Brasil.

Ira! – Bebendo Vinho A versão do Ira! para a música de Wander Wildner ganhou um belíssimo clipe em plano-sequência com Nasi chegando em casa deprê e lamentando o roubo de seu cachorro Vênus.

Vespas Mandarinas – A Prova Este aqui, por incrível que pareça, é um plano-sequência e sem montagem: o guitarrista e vocalista Chuck Hipolitho programou seus celulares e os movimentos pra que tudo se encaixasse direitinho. Depois de muito planejamento, o resultado é esse:

Skank – Sutilmente Eu ia colocar “Três Lados”, mas só assistindo eu percebi que aquele tem alguns cortes que vão para a banda tocando. Bom, em “Sutilmente”, é plano-sequência o tempo todo. Dá pra notar uma inspiração no clipe de “1 2 3 4” da Feist, mas com a inovação de colocar o quarteto mineiro de lado, tocando na parede!

Caetano Veloso – Não Enche Não é o único plano-sequência de Caetano (agora tem também “A Bossa Nova é Foda”, mais ou menos), mas esse me marcou mais, já que passava direto na Mtv Brasil (e eu era um espectador assíduo do canal na época). Ver Caetano levando catiripapos em plano-sequência é incrível.

Los Hermanos – Todo Carnaval Tem Seu Fim O Los Hermanos no começo chupava bastante do Weezer. Essa música, por exemplo, tem o começo chupinhado diretamente “Getchoo” e o clipe é quase que uma versão de “Undone”.

Hateen – 1997 O “emo” do Hateen tem este clássico que lamenta relembrando o ano de 1997 com um rapaz caminhando pra lá e pra cá e passando pela banda. O triste é que ele se lembra de tudo que quer esquecer, o que deve ser muito foda pra ele.

Mallu Magalhães – Nem Fé Nem Santo Mallu passa por diversos cenários, lugares, dia, noite, chuva e até fogo sem sair do lugar.

Móveis Coloniais de Acaju – O Tempo Clipe gravado “ao vivo”. O que é escrito no vidro é a @ no Twitter enviado por fãs com a hashtag #TempoRealMoveisMtv.

Lurdez da Luz – Andei Pô, o próprio nome da música diz o que acontece no clipe. É basicamente isso.

Chico César – Mama África Ah, “Mama África”. Um grande clipe e o mais engraçado de se assistir no “Piores Clipes do Mundo” com o Marcos Mion (quando este era engraçado, há muitos e muitos anos atrás). Se você ainda não viu, assista os comentários do programa. Vale a pena.

Thiago Petit – Nightwalker A atriz Alice Braga caminha pela rua, te olha com seus olhos penetrantes e até faz uma coreografia no meio do caminho.

Gaby Amarantos – Xirley A madrinha do tecnobrega chega em casa e conta a história da moça que vai te servir um café coado na calcinha pra te enfeitiçar. Tudo sem cortes de câmera, é lógico.

A Banda Mais Bonita da Cidade – Oração Deixei um dos mais populares clipes em plano-sequência para o final, especialmente para que a música entre na sua cabeça novamente e não saia mais pelo dia de hoje. Isso é earworm pra ninguém botar defeito. Ah, e esse clipe gerou muitas versões feitas por fãs e famosos, todas em plano-sequência, é claro.

Esqueci de algum? Lembra de mais algum clipe brasileiro que usa o plano-sequência e merece palmas? Coloca aí nos comentários!