No dia do São Jorge, Arnaldo Brandão lança a homenagem “A Falange do Cavalo Branco”, com feat de Tavinho Paes e Leela

No dia do São Jorge, Arnaldo Brandão lança a homenagem “A Falange do Cavalo Branco”, com feat de Tavinho Paes e Leela

24 de abril de 2020 0 Por Karinna Fiorito

Lançado ontem, “A Falange do Cavalo Branco” o novo clipe do cantor, compositor e baixista Arnaldo Brandão conta com a participação do poeta Tavinho Paes e da vocalista/guitarrista Bianca Jhordão e do guitarrista Rodrigo Brandão da banda Leela. A música faz parte do terceiro álbum da carreira solo, “Brandão Psicopop”, lançado em 2019.

A música foi composta com Tavinho Paes depois do mesmo ter inventado o refrão em um evento de poesia, cantada nada mais nada menos do que para Jorge Benjor no dia de São Jorge.

O videoclipe foi dirigido por Bianca Jhordão e Silvia Gangemi e as gravações aconteceram no começo do ano na região serrana do Rio de Janeiro. A montagem e assistência de câmera ficou por conta de Rod Carvalho e a montagem e finalização por Bianca Jhordão.

O cantor conta: “A idéia inicial era um piquenique bem colorido no parque, com cenas em câmera lenta que pudessem exaltar a natureza.  Para o contraponto, Arnaldo sugeriu a fogueira e as lanças.”

“A imagem do soldado romano a cavalo matando o dragão surgiu no catolicismo da Idade Média e foi adotada no Brasil pelos devotos de religiões africanas que eram criminalizados pela inquisição colonial, desprezados no Império, considerados um atraso cultural na República, perseguidos pelo Estado Novo e, agora, amaldiçoados pelos neo-pentecostais.”

 

Com a participação do Leela (Rodrigo Brandão no synth e Bianca Jhordão nos vocais de apoio) e contribuições dos músicos Ricardo Bacelar no órgão, Lourenço Monteiro na bateria, Alirio Lima na percussão, Gabriel Paes no beat box, Leo Brandão no ukelele e Theo Brandão (neto de Arnaldo) na flauta doce.  Tavinho Paes e Arnaldo Brandão cantam pro santo guerreiro pedindo paz nesta canção em forma de oração.

Arnaldo Brandão iniciou sua carreira nos anos 60 em uma das primeiras bandas de rock do Brasil, A Bolha. Depois, acompanhou Gal Gosta, Raul Seixas, Luiz Melodia, Jorge Mautner, Jorge Benjor, Gonzaguinha e Doces Bárbaros. Gravou o baixo na música “Odara” de Caetano Veloso, entre outros.

Em 1985 formou a sua banda de rock Hanoi Hanoi onde compôs sucessos como, “Totalmente Demais”, gravado também por Caetano Veloso em 1986. Compôs com Cazuza a música “O Tempo Não Pára”, de 1988, e com Lobão e Tavinho Paes “Rádio Blá”, de 1987. Tocou na segunda edição do Rock In Rio no Maracanã com o Hanoi Hanoi em 1991.

Em carreira solo Arnaldo lançou três álbuns: “Plano D” (2000),  “Amnésia Programada” (2010) e “Brandão Psicopop” (2019).