Michael Jackson: o rei do pop e seus amigos

Michael Jackson: o rei do pop e seus amigos

7 de janeiro de 2015 0 Por João Pedro Ramos

Não me incomoda o título que Michael Jackson criou para si mesmo. Não dá pra discutir muito que o cara foi, realmente, o “rei do pop”. Aliás, um dos criadores do pop como o conhecemos hoje (para bem e para mal). Mas além de sua discografia quase impecável (pelo menos até “Dangerous”), Michael também realizou ótimas parcerias com seus muitos amigos artistas. Conheça algumas das melhores (e algumas inexplicáveis). Sham’on:

State of Shock (com Mick Jagger)

Esta aqui na verdade não é solo do Jacko, sendo uma parceria dos Jacksons (ex-Jackson 5) com Mick Jagger, dos Rolling Stones. Originalmente, essa música foi uma das que Jackson gravou com Freddie Mercury (junto com “Victory” e “There Must Be More To Life Than This”, que veremos em breve). O motivo de terem regravado com Jagger no lugar de Mercury nunca foi revelado.

Say Say Say (com Paul McCartney)

A duplinha já havia gravado “The Girl Is Mine” em “Thriller” de Jackson, e fizeram esse dueto para “Pipes Of Peace”, de McCartney. A música ficou em primeiro lugar por seis semanas nas paradas americanas e o clipe é um clássico oitentista (e seu enredo foi zoado devidamente no Piores Clipes do Mundo, quando o Marcos Mion ainda tinha graça) com a participação da eterna companheira de Paul, Linda McCartney, segurando vela para o dueto.

All In Your Name (com Barry Gibb)

A parceria de Michael Jackson com um terço dos Bee Gees é uma baladinha meio mixuruca, se formos considerar os dois talentos unidos aqui. Apesar de ter sido gravada em 2002 e lançada em 2011, a música poderia muito bem fazer parte de qualquer coletânea de baladinhas oitentistas das mais babadas. Vale ouvir pela curiosidade, apenas, o que é uma pena.

Get It (com Stevie Wonder)

Apesar de ter dois gênios em ação, “Get It” não é uma das melhores parcerias desta lista. Dançante (e bem oitentona), a música saiu em 1987 no disco “Characters” de Wonder. Como eram os anos 80, tudo é muito cheio de sintetizadores 80s e o piano matador de Stevie mal é ouvido.

There Must Be More To Life Than This (com Queen)

http://www.youtube.com/watch?v=CpEW3FyNR6w

O dueto de Michael e Freddie pode não parecer bacana nas primeiras audições, mas ele meio que cresce em você. Aí o refrão fica na cabeça. Lógico que não é nada inesquecível como “Thriller” ou “Bohemian Rhapsody”, mas é uma baladinha até que simpática.

Watzapwitu (com Eddie Murphy)

É estranho o que eu vou dizer, mas é verdade: a improvável parceria com Eddie Murphy é um dos melhores duetos desta lista. “Watzapwitu” foi lançada em 1993 no terceiro disco do Tira da Pesada, “Love’s Alright”. Sim, é um R&B genérico dos anos 90, mas emula bem o que estava sendo produzido naquela época e tem um refrão fácil e chicletudo.

Somebody’s Watching Me (com Rockwell)

Acho que esta é a minha preferida de todas as parcerias que Michael Jackson já fez (rivalizando, talvez, com as ótimas participações de Eddie Van Halen e Slash em algumas de suas músicas). Lançado pela Motown em 1984, “Somebody’s Watching Me” é o single de estreia de Rockwell. É um one hit wonder sensacional com o refrão cantado por ninguém menos que Jacko, falando sobre o sentimento de paranoia. Nota 10.

This Time Around (com Notorious B.I.G.)

Esta aqui faz parte do disco HIStory, a auto-homenagem de Jackson a si mesmo. A curiosidade é a participação de Notorious B.I.G., que faz um pequeno verso no meio da música. No mais, é um daqueles R&B típicos de Jacko nos anos 90 e poderia muito bem estar no meio de Dangerous, de 1991.

What More Can I Give (com Beyonce, Celine Dion, Hanson, Ricky Martin, Usher, Nick Carter, *NSync, Mariah Carey, Santana, Gloria Estefan, Shakira, Maya, Tom Petty e mais)

A tentativa pós-11 de setembro de reproduzir “We Are The World” de Michael não foi das mais bem sucedidas, mas vale a curiosidade de ver MJ junto com artistas pop mais atuais, como Beyoncé, Backstreet Boys, Mariah Carey e Usher em uma daquelas músicas cheias de participações buscando ajudar a uma causa qualquer. Foi lançada em 2001 e ganhou uma versão diferentes, com artistas latinos, chamada “Todo Para Ti”.

We Are The World (com Cindy Lauper, Billy Joel, Bob Dylan, Bruce Springsteen, Willy Nelson, Tina Turner, Ray Charles, Stevie Wonder, Steve Perry, Lionel Richie e mais)

Preciso realmente falar dessa aqui? Lançada em 1985 com o intuito de angariar doações para a África, “We Are The World” juntava muitos dos grandes artistas dos 80s (só não sei onde foi parar a Madonna, que Cindy Lauper substituiu com louvor) em 7:14 minutos de melodia que gruda na cabeça que ganhou três Grammys e muitos outros prêmios.