HL Arguments volta mais pesado e introspectivo com composições de toda sua carreira em seu disco “Honten”

A banda HL Arguments lançou recentemente seu terceiro disco, “Honten”, levando suas composições para um lado mais pesado, introspectivo e até um pouco triste. As músicas do disco foram criadas em diversos pontos da carreira da banda, com destaque para a faixa “Você”, composta há cerca de 13 anos. Com muita influência do rock alternativo noventista e pitadas prog rock e psicodelia, a banda é formada por Helio Lima (Vocal, Guitarra), Marcos Cesar (Bateria), Amanda Labruna (Vocal), Fernando Silvestre (Guitarra) e Wesley Lima (Baixo) e está na estrada promovendo o disco. Hélio diz que prefere não adiantar nenhum plano para o futuro, porém, já que a vida de artista independente exige um trabalho descomunal. “Não tenho energia nesse momento para falar em um próximo álbum. Estou esgotado. Ocorre que uma banda como a nossa, exige uma auto gestão imensa, que passa pelo financeiro, administração, venda de shows, engajamento do nosso publico, gravações, ensaios e afins e afins”, conta.

– Primeiro, uma curiosidade minha: porque o nome “Honten”?

Começou com algo sobre falar do nosso passado, no sentido de experiências como coletivo. Já brigamos muito, até nos entendermos de fato como banda. São cinco pessoas, estilos, ideias e emoções. Não é fácil. Então, partiu disso. Depois alguém achou essa palavra no idioma japonês acho….e ela significa “Sede”. Então as duas interpretações nos agradam. Claro que o h no ontem tem relação com o HL do nome da banda…(risos)

– Esse disco na real é feito de músicas criadas em vários momentos diferentes, certo?

Sim…inclusive a “Você” tem inacreditáveis 13 anos. Ela apareceu em um álbum que eu gravei em 2005… Sumiu, e reapareceu agora com uma nova abordagem, proposta pelo Marcos (baterista). “The Far West” tem alguns bons anos também…e por fim, esse trabalho traz musicas de todas as nossas épocas, inclusive claro as escritas muito recente, como “A Home is Not Made of Wills”.

– E como foi a escolha de quais músicas entrariam? Apesar de ser bem diversificado musicalmente, ele tem uma unidade.

O tema proposto de revisitar nossas próprias experiências. As musicas que não traziam essa premissa, ficaram de fora, ao passo que as que entraram, trazem essa unidade. Isso era muito importante para nós.

– Quais são as principais influências musicais que você vê nesse disco?

O Fernando anda meio psicodélico em suas melodias. O Marcos e o Wesley sempre gostaram muito de algo progressivo, o que também esta presente nesse álbum. E eu permaneço nos temas mais introspectivos, contando com as harmonias vocais da Amanda. Estamos mais tristes, mais difíceis (musicas longas) e menos práticos. Acho que esse e um cenário que explica um pouco as influências para esse álbum.

– Explica esse “mais tristes” aí. (Risos)

No sentido de coletivo de canções. O álbum 1 teve temas como “Só Não Me Faça Dizer Não” ou “Like a Crazy Magic”, além de “Standing Firm” ou “Hopes and Dreams”, todos temas bem enérgicos ou agitados. No álbum II estávamos bem roqueiros…“#JC1”, “Who Can Wait For This”, “A Girl And Her Posts” ou “Our Goodbye To All” também mostram isso. Já nesse álbum, tirando as duas musicas iniciais que são mais pesadas, temos no restante temas mais introspectivos.

– E já têm material para um próximo trabalho ou ainda estão focando nesse?

Não tenho energia nesse momento para falar em um próximo álbum. Estou esgotado. Ocorre que uma banda como a nossa, exige uma auto gestão imensa, que passa pelo financeiro, administração, venda de shows, engajamento do nosso publico, gravações, ensaios e afins e afins. Ter um trabalho musical e definitivamente ser empreendedor sem descanso. Então, eu preciso descansar um pouco. Vamos claro promover bem esse álbum, sem fazermos muitos planos alem disso.

– Como você definiria este disco?

Minha definição para esse álbum: Maduro, sério…. retrata bem tudo o que aprendemos até então e sinaliza bem que nosso maior compromisso é com as nossa música. Não e muito confortável lançar algo que você perceba que está desconexo com o que vc quer passar, e esse album mostra exatamente o que queremos passar. Exatamente. Mérito nosso e do nosso produtor Marcelo Santos.


One thought on “HL Arguments volta mais pesado e introspectivo com composições de toda sua carreira em seu disco “Honten””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *