Finalistas do Breakout Brasil, Donna Duo lança primeiro disco e single “Acordei Te Amando”

Finalistas do Breakout Brasil, Donna Duo lança primeiro disco e single “Acordei Te Amando”

23 de junho de 2015 2 Por João Pedro Ramos

Donna Duo

Dani Zan e Naíra Debértolis fazem o que chamam de “pop milongueiro”. Cantoras, compositoras e multi-instrumentistas, as duas formam o Donna Duo, com um repertório que mistura MPB, samba, milongas, rock, pop e o que mais der na telha da dupla. Finalistas do reality show do Canal Sony Breakout Brasil, Dani e Naíra lançam este ano seu primeiro disco, patrocinado por um bem sucedido crowdfunding. O primeiro single é “Acordei Te Amando”, lançado em junho.

Conversei com Dani e Naíra sobre a carreira da dupla, a participação no Breakout Brasil e realities musicais em geral:

– Como a banda começou?

Através de uma fã em comum nos conhecemos, foi coisa de internet. Ela conhecia os trabalhos que as duas tinham na época, a banda da Naíra precisava de composições, e ela nos apresentou via Facebook, com a pretensão de que as minhas composições pudessem agregar naquele trabalho. Mas realmente não sabíamos que esse acaso se transformaria no Donna Duo.

– De onde surgiu o nome Donna Duo?

Boa pergunta, a gente começou com o nome DebertoliZando, mas ninguém entendia que era a mistura dos nossos sobrenomes, e gaguejavam no pronunciar (risos). Pronto, mudamos o nome por livre e espontânea insistência do universo. Passamos a pesquisar o que bem nos definia, em outras línguas, e chegamos a esse conceito bem simples de Donna Duo, duas mulheres. Já que Donna é mulher em italiano.

Donna Duo

– Quais são as maiores influências da banda?

A gente tem várias influências brasileiras, de ritmos brasileiros variados, desde o samba, até a milonga, o afoxé… temos essa tendência e ela flui muito naturalmente, gostamos desse som Brasil. Porém, a gente ao mesmo tempo mergulha no pop e no rock. A Dani tem dessas de escutar Tião Carreiro e Elvis, a Naíra vai da gauchada aos Beatles, e todos esses sons, históricos, nos influenciam, positivamente.

– Como vocês definiriam o som da dupla?

O Donna Duo tem dois anos de vida, e como o duo surgiu sem direcionamento do que íamos fazer, como um hobby, um projeto parelelo das duas, experimentamos muita coisa, fizemos tudo o que queríamos e naturalmente nos tornamos um caldeirão musical. Daí veio o CD, e enfim lacramos quem somos. A mistura, a variação de cor que o álbum vai trazer não foi intencional, ficou a nossa cara, bem como as composições que já nasceram com essa imagem imprimida.

– Quais os maiores desafios de ser uma banda independente no Brasil?

Se comunicar com o público de forma singular. Você precisa aproveitar as oportunidades e as vezes até inventá-las. A produção independente não tem um espaço demarcado na mídia e por conta disso você precisa utilizar-se de todos os recursos que tem. Internet tá aí, e é o território mor de quem faz música autoral independente. Porém, você precisa sair do digital, precisa ter contato com os fãs, eles precisam olhar no teu olho e saber que a tua música tem vida, fora da rede.

– O que vocês acham do sistema de crowdfunding?

Pra nós foi a chance de meter o pé no acelerador. Só que o crowdfunding é uma ferramenta, a banda que se utiliza da crowdfunding é a engrenagem, e pra quem pensa em fazer o seu próprio financiamento coletivo, é preciso ter essa consciência, acreditar em si, trabalhar pra que vejam a banda e vejam o projeto. Com o Donna Duo passamos dois meses de sufoco, de gastrite, de ansiedade, mas hoje a gente ri! E foi ótimo, gratificante.

– Quais bandas foram as preferidas de vocês no Breakout Brasil?

Bom, The Outs nos ajudaram na prova do inglês, emprestaram os seus instrumentos, escutavam nossas versões antes das apresentações, davam sugestões. Eles são o máximo, são de um universo musical diferente do nosso, mas parte de nós uma admiração tamanha pra com esses guris que é difícil explicar. São grandes pessoas e profissionais! Tanto quanto o Capela, que inclusive gravou a música “Amor Gramatical” que era do nosso repertório. Também fizemos apresentações juntos, nos encontramos em São Paulo com uma certa frequência e temos planos futuros. Gostaria de pontuar mais gente por aqui, mas enfim, fica aqui nossa, quase, declaração de amor pro Capela e o The Outs. (risos)

– Como foi participar do Breakout Brasil?

Acho que foi um crescimento pessoal muito grande, nosso maior presente nisso tudo foram os amigos e oportunidades que aconteceram durante e após o programa. E poxa, foi o Breakout que nos uniu mais e nos deu força para iniciar um Catarse e ver as coisas se concretizarem de verdade.

– O que vocês acham da proliferação de realities musicais que rola hoje em dia?

Como eu disse, temos que usar dos recursos disponíveis. Mas é preciso ter uma coisa em mente, reality show é programa de TV, música é arte! Contudo, que a música prevaleça!

– Quais os próximos passos do Donna Duo?

Bom, acabamos de lançar a música “Acordei te Amando” que é um aperitivo pro que vem por aí! Estamos planejando cuidadosamente o que será de nós pós lançamento do CD, já estamos marcando shows do segundo semestre do ano e nosso objetivo é ampliar os estados em que estamos trabalhando, queremos cada vez mais ter esse, olho no olho!

Donna Duo

– Quais bandas novas e desconhecidas vocês acham que todo mundo devia conhecer?

Cada uma vai escolher uma então, hein? Bom, a Naíra vai dos meninos da The Fire Departament de Porto Alegre. E a Dani vai de Confraria da Costa, os piratas de Curitiba.