Festival Nova Brasil chega à sua 9ª edição com Zélia Duncan, Titãs, Jota Quest e AnaVitória

Festival Nova Brasil chega à sua 9ª edição com Zélia Duncan, Titãs, Jota Quest e AnaVitória

31 de outubro de 2018 0 Por Hanilton Medeiros

Com o slogan “O Festival que aumenta suas expectativas”, o Festival Nova Brasil chegou a sua 9ª edição no último sábado, no Allianz Parque, trazendo o melhor da programação vinculada na rádio Nova Brasil FM, emissora referência na divulgação da música brasileira. A abertura dos portões deu-se por volta das 13hs e já era possível observar a concentração de público, que praticamente lotou os 10mil lugares disponibilizados logo para a primeira apresentação, marcada e iniciada pontualmente as 15hs.

Com a difícil tarefa de abrir a programação, o duo AnaVitória realizou um show bem animado e com forte interação com a plateia presente. Vencedoras do Grammy Latino de Melhor Canção em Língua Portuguesa, com a música “Trevo (Tu)”, em 2017, as meninas trouxeram hits do lançamento “O Tempo É Agora”, com 11 faixas inéditas, entre elas a música “Ai, Amor”. Para os fãs, o duo ainda relembrou hits como “Singular”, “Fica” e “Agora Eu Quero ir”, canções sempre presentes na programação da Nova Brasil FM.

Em seguida foi a vez da cantora Zélia Duncan subir ao palco, apresentando um show repleto de hits que compõem sua carreira musical. Visivelmente emocionada com a apresentação, Zélia dividiu o coro com o público presente em momentos marcantes, como durante as canções “Lá Vou Eu”, “Catedral” e “Alma”. O show ainda contou com as participações especiais de Isabella Tavianni e Paulinho Moska, amigos e parceiros de longa data, ajudaram a abrilhantar aquela que foi a melhor apresentação do festival. Destaque para “O Último Dia”, cantada em parceria entre Zélia e Moska, considerando que o festival aconteceu um dia antes das eleições presidenciais e o clima diante da atual situação política brasileira era tenso, sua letra caiu como um par de luvas.

Após um rápido ajuste de palco, tivemos um show morno do Jota Quest, em formato acústico, com músicas bem parecidas entre si, mas que agradaram parte do público. Destaque para as baladas “Fácil” e “O Sol”. Em seguida, o céu já estava escuro e com alguns pingos de chuva, quando o cantor Fagner subiu ao palco, para realizar um show certeiro, com hits e destaque para canções que circularam em trilhas sonoras de novelas, como “Borbulhas de Amor”, “Casa Comigo”, “Pedras que Cantam” e “Romance no Deserto”.

O encerramento do festival ficou por conta da banda paulistana Titãs, com 36 anos de carreira e muitos discos consagrados, o grupo comemorava o retorno aos palcos do vocalista Branco Mello, que se ausentou para um tratamento médico. A apresentação começou animada com a música “Diversão”, seguida pela versão que a banda fez pra música “Aluga-se” de Raul Seixas. Luiza Possi fez uma participação especial, dividindo os vocais com o guitarrista Tony Bellotto durante a canção “Pra Dizer Adeus”.

Em seguida a banda resolveu apresentar músicas novas, do projeto ópera-rock, “Doze Flores Amarelas”, a primeira delas foi “Me Estuprem” que contou com uma forte interpretação de Luiza, que em seguida se despediu do palco com o grito de “Não violência!”. A banda seguiu apresentando músicas novas, que infelizmente não empolgaram o público, provavelmente cansado depois de quase 7hs de festival. Parte do público foi embora sem ver o encerramento do show, que abriu a segunda parte com a canção “Flores”, um dos maiores hits da banda.

No geral, essa foi uma edição boa do Festival Nova Brasil, depois de nove edições acredito que a produção já saiba bem como conduzir tal evento, talvez um olhar mais apurado quanto a ordem das apresentações, teria resultado em algo melhor, porém não tira o brilho e sucesso do festival.

Fotos: Magaly Negrisoli