De quando a banda alemã de rock industrial Einstürzende Neubauten jogou coquetéis molotov em seu público

3 de março de 2015 0 Por João Pedro Ramos

0171

“Novos Prédios Desabando”. Esta é a tradução do nome da banda Einstürzende Neubauten, fundada em 1980 no oeste de Berlin. Conhecida como uma das primeiras bandas de Industrial. Mas hoje não falaremos tanto do som da banda, e sim de um show em particular.

Não, não será de um dos primeiros shows do Neubauten, realizado dentro de uma antiga igreja que eles destruíram logo depois. O show a que me refiro aconteceu em 19 de Novembro de 1983, em Oslo, na Noruega.

Nesta ocasião, o percussionista N.U. Unruh resolveu que seria uma boa performance jogar coquetéis molotov na plateia. Não, não estou falando de coquetéis falsos ou algo do tipo. Foram coquetéis molotov de verdade, “jogados de uma distância com uma margem de segurança”, segundo o vocalista Blixa Bargeld.

Veja o depoimento de Blixa Bargeld e do ex-integrante FM Einheit no livro “No Beauty without Danger”:

FM Einheit – “Em Oslo, Noruega, tocamos em uma galeria e perseguimos as pessoas da plateia com coquetéis molotov. Eles também se defenderam: por exemplo, tentando nos atacar com a turbina do navio, um dos nossos instrumentos (nota: a banda toca com instrumentos que eles mesmos criam). Foi um bom tumulto em Oslo. Foi divertido.”

Blixa Bargeld – “Para este show, Andrew tinha preparado 20 coquetéis molotov. Então, ele fez o público correr jogando coquetéis molotov diretamente contra eles. Eles continuaram tentando escapar, mas ele os perseguia pelo do salão e, com uma margem de segurança, atirava garrafas de gasolina queimando neles. Isso foi ótimo. Uma das razões pelas quais eu fui expulso da escola era porque eu tinha começado um incêndio. Minha expulsão já havia sido decidida de qualquer maneira, então eu não tinha nada a perder. Eu era o presidente do corpo estudantil, e tentei fazer valer meus direitos de pseudo-democráticos, participando de um “Schülermitverwaltungsversammlung” (uma espécie de reunião do conselho estudantil) com um bombardeio de fogo – em que ninguém ficou ferido – porque minha participação na assembleia já não era permitido. O fogo é um meio de transformação. Fogo, como um elemento de nossas letras e como parte do show do Einstürzende Neubauten, nos acompanhou por um bom tempo. Quem acendia fogos no palco era quase sempre Andrew. Em seguida, em algum momento nós tivemos que parar, porque percebemos que nosso público praticamente já esperava este incendiariso de nós. Foi quando começou a ficar chato. Mas foi bom enquanto não podíamos controlá-lo e ainda não era o que se esperava de nós”

A banda ainda está na ativa e fazendo shows. E aí, se arrisca a levar um molotov na cabeça?

Veja um pedaço da perfomance incendiária em Oslo: