Construindo Dum Brothers: conheça as 20 músicas que mais influenciaram o som da banda

Dum Brothers

Quando uma banda se forma, as influências de cada um dos integrantes são inúmeras e variadíssimas. Essa mistura de músicas, artistas, discos e sons entra em um imenso caldeirão musical e traz algo totalmente novo e cheio de identidade. É nessa construção de identidade que a coluna Construindo vai focar: aqui, traremos 20 músicas que foram essenciais para que uma banda ou artista criasse seu som, falando um pouquinho sobre elas. Hoje temos o duo paulistano Dum Brothers, que indica suas 20 canções indispensáveis.

Elton John“Street Kids”
Bruno: Essa música eu já ouvi tanto que eu acho que ela já faz parte da minha vida, tipo um anexo.

Grand Funk Railroad“I Come Tumblin”
Bruno: Bom, essa música foi a primeira que ouvi da banda, me fez ficar apaixonado na hora pela guitarra e a voz do Mark que são sensacionais. Nem vou mencionar a bateria de todas as músicas do Grand Funk que são uma palhaçada de tão boas.

Black Sabbath“Children of The Grave”
Bruno: Quase todos os bateristas e guitarristas do mundo tem o Black Sabbath como inspiração e Black Sabbath sem Bill Ward não é Black Sabbath.

Kiss“Deuce”
Bruno: “Deuce” foi uma das que mais teve peso na inspiração, foi ouvindo ela que me veio na cabeça a letra de “Volta pro Sul”, Peter Criss foi o ponto chave nessa inspiração.

Eagles“One Of These Nights”
Bruno: Bom, Eagles eu sou suspeito de falar, é minha banda de cabeceira! Gosto de todas as músicas, ouço todos os dias… Don Henley, Joe Walsh, Glenn Frey, Don Felder… Esses caras juntos são muito foda, e essa música é muito boa, a bateria dela com levadas de jazz… Foda.

Deep Purple “Maybe I’m A Leo”
Bruno: Quando tinha 16 anos comprei o vinil “Machine Head” do Deep Purple e transformou minha mente, de lá pra cá não fui a mesma pessoa. Influência master na minha forma de compor e tocar, essa música representa essa fase de transformação na minha vida.

Queen“Liar”
Bruno: Essa música a primeira vez que ouvi quase não acreditei que fosse Queen, aí depois que ouvi o lado B do deles vi que eles são muito mais que “We Will Rock you” e “We are the Champions” e até hoje é influência.

The Hellacopters“Same Lame Story”
Bruno: Com certeza essa banda tem influência no nosso som de formas variadas.

Muñoz“Run”
Raul: A primeira vez que eu vi Muñoz foi no Inferno, abrindo pro Kadavar. Já tinha ouvido os caras mas aquele show foi foda, falei “É isso!”. Depois a gente foi em um monte de show deles. Um duo super foda e que toca alto pra caralho.

Huey “Sex & Elephants”
Raul: Um ano antes de formar o Dum eu fui num show deles e aquilo deu um clique: guitarras graves, distorções, confusão, fiquei impressionado. Chamei o Bruno pra ir e um show deles e falei “Tava querendo fazer algo assim”. O Dum ficou bem diferente de Huey, bem diferente, mas pelo menos a guitarra é grave e a gente fica confuso.

Elder“White Walls”
Raul: Na onda do Doom/Stoner/Sludge, essa foi uma das músicas com guitarras graves que mostrei pro Bruno antes de começar a tocar, muitas das loucuras e riffs vem dessa banda.

Grand Funk Railroad“Inside Looking Out”
Raul: A gente gosta muito de Grand Funk, escutamos desde sempre, sem dúvida uma grande influência para vários aspectos do nosso som.

Queens Of the Stone Age“If Only”
Raul: O vocal estranho do Josh Homme e as guitarras em C já estão no sangue, nessa música dá pra sentir uma melancolia na cantoria dele e a batida mantida no surdo do verso.

Royal Blood “Little Monster”
Raul: Não podia faltar outro duo nessa lista. Esse é de baixo e guitarra, fiquei impressionado quando ouvi e depois vi como que o Mike Kerr transforma o baixo e duas guitarras e um baixo, resolvi tentar fazer igual. Essa música foi uma que estava na setlist do primeira jam que fizemos.

Baroness “Cocainium”
Raul: Essa é de uma banda que era bem pesada no começo e depois foram experimentando. Continuou pesado mas com umas variações estranhas no som. Nessa tem uma batida mais marcada no bumbo e umas doideras com as guitarras, a música chegar a ser dançante.

Graveyard“The Siren”
Raul: Um pouco de blues, sofrimento e gritaria. Suécia é um berço de influências pra gente, muita coisa boa que a gente ouve vem de lá. A variação de calmaria e barulho dela é um bom exemplo do que a gente curte fazer em algumas músicas.

Steve Miller Band“Jet Airliner”
Raul: A melodia dessa música é maravilhosa, mesmo sendo uma versão do Paul Pena ela preservou o sentimento do cantor. Uma época a gente tocava ela nos ensaios, mas o tom é muito alto, ficava foda cantar depois de um tempo.

Rival Sons“Open My Eyes”
Raul: Esse riff é demais. Mesmo usando uma fórmula antiga, ainda fica foda quando tem o baixo junto com a guitarra, a gente faz bastante essas coisas usando o pedal oitavador.

Mastodon“The Motherload”
Raul: Em uma tentativa louca de fazer o mais difícil possível, colocamos essa música no setlist da jam, ficou estranha mas conseguimos testar nossos limites. A música é foda, o riff é foda, a bateria é foda, e o clipe é foda (risos)!

The Hellacopters“Toys and Flavors”
Raul: Realmente gostamos de Hellacopters. O clipe dessa música me fez querer tocar guitarra!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *