Conheça Ortácio, Borghetti, Salazar & Poty

Conheça Ortácio, Borghetti, Salazar & Poty

30 de agosto de 2019 0 Por Luiza Padilha

Quem é fã duma boa música empoeirada muito possivelmente já ouviu falar em Crosby, Stills, Nash & Young e nas carreiras solos de cada um dos integrantes – David Crosby, Stephen Stills, Graham Nash e Neil Young, respectivamente. 

Ainda na década de 60, Graham Nash fazia parte dos Hollies, David Crosby dos Byrds e Stephen Stills e Neil Young do Buffalo Springfield. Após caminhos se cruzarem, em 1968 nasceu o promissor trio Crosby, Stills and Nash, que misturava folk com guitarras distorcidas. Já Neil Young começou a traçar sua magistral carreira solo, lançando seu primeiro álbum em janeiro de 1969.

Em 1970, o trio começou a trabalhar na ideia de se transformar em quarteto, convidando primeiramente Jon Sebastian (Lovin’ Spoonful) para ser o quarto elemento, mas ele recusou o convite. Após isso, quem foi convidado para assumir o posto foi Neil Young, que, para nossa alegria, aceitou e dessa união nasceu o primeiro e grandioso álbum do quarteto, “Déjà Vu”.

Dito isso, agora gostaria de introduzir o grupo porto-alegrense Ortácio, Borghetti, Salazar & Poty, pois da primeira vez que ouvi eles já associei diretamente à CSNY: conhecido como OBS&P, o quarteto está em atividade desde 2018. É formado por quatro compositores que possuem seus projetos paralelos e que se uniram com a finalidade de executar suas composições próprias e de criarem canções.

João Ortácio é natural de Rosário do Sul. Integrante do grupo musical Renascentes, já lançou dois álbuns com o grupo, “Renascentes” (2014) e “Dia Real Inventado” (2018). Está trabalhando em seu primeiro álbum solo.

Pedro Borghetti é natural de Porto Alegre. Instrumentista, cantor e compositor, lançou seu primeiro álbum, “Linhas de Tempo”, em junho de 2019.

João Salazar é cantor, compositor e artista visual natural de Porto Alegre. Possui dois materiais lançados: o EP “Entrópico” (2017) e o álbum “Lugar Afora” (2018).

Poty é cantor e compositor, natural de Jaguarão. Lançou em 2016 o EP “Casa” e em 2018 seu primeiro álbum, “Percepção”.

Gosto de brincar que é possível até traçar um comparativo entre dois dos compositores e os dinossauros do folk rock: João Salazar e sua voz suave se encaixam diretamente à maneira que Graham Nash usava para projetar sua voz e compor canções. Já Poty está para Neil Young, não apenas por ser o último na listagem de nomes, mas por conta de seu som autoral que foge da curva e carrega um peso que o torna único. 

O quarteto lançou no último dia 24 de agosto o clipe da música “Ainda Multidão”, que é um marco na trajetória do grupo pois a música é a primeira composição criada pelos quatro integrantes em conjunto. O videoclipe é uma produção da Árido Filmes com direção de Theo Tajes e produção musical e mixagem é de Guilherme Ceron.

Recentemente, o grupo lançou um EP visual pelo selo da Pedra Redonda, dirigido por Vinicius Angeli com assistência de Luiza Padilha (sim, eu mesma) e mixado por Wagner Lagemann.