Como Chico Science e Nação Zumbi modernizaram o passado em 1994 com “Da Lama Ao Caos”

Como Chico Science e Nação Zumbi modernizaram o passado em 1994 com “Da Lama Ao Caos”

9 de setembro de 2016 0 Por Luis Bortotti

No Walkman, por Luis Bortotti

“Modernizar o passado é uma evolução cultural.”

Por mais que seja óbvio iniciar uma análise sobre “Da Lama Ao Caos”, álbum de estreia da banda Chico Science e Nação Zumbi, o primeiro verso de “Monólogo ao Pé do Ouvido” consegue expressar com muita perfeição toda a obra.

Com o seu lançamento em 1994, e juntamente com Samba Esquema Noise” do Mundo Livre S.A. estava iniciado o movimento manguebeat.

Nele, Chico Science caminha pelas ruas do Recife nos apresentando situações, personagens e problemas cotidianos da cidade. No final do trajeto, ele finca uma parabólica na lama e espalha a sua poesia pelo mundo.

As letras, que apresentam a marginalidade das classes financeiramente inferiores sofrida pela evolução e exploração industrial, os passos diários de uma alienada classe média desde os anos 70 e o miserável e violento estado em que a cidade se encontrava, podem ser tratadas como estudos sociais e antropológicos do Recife nos anos 90.

chico-science-e-nac3a7c3a3o-zumbi-1994-1

Nelas, também é possível encontrar uma grande influência do livro Homens e Caranguejos, do escritor pernambucano, Josué de Castro. No disco, Chico Science e Nação Zumbi tentam recuperar o orgulho do homem-caranguejo, destruído através dos anos pelo esquecimento cultural e social do Recife por parte do Brasil.

Tudo isso é contado através de uma melodia única, que mesclava (e ressuscitou) os ritmos locais com a cultura pop mundial, injetada graças à globalização e virtualização dos anos 80/90.

Em “Da Lama Aos Caos”, temos o maracatu nos overdrives do rock, a ciranda no dub e soul, o samba nas rimas do hip hop.

Essa tropicália mistura foi arquitetada pelo próprio Chico, quando ele resolveu unir as bandas que fazia parte. Antes da Nação Zumbi, a banda chegou a se chamar Chico Science e Lamento Negro, mas logo adotou o nome utilizado até hoje. Na obra produzida por Liminha, temos Dengue (baixo), o fantástico Lúcio Maia (guitarra), Toca Ogam (percussão), Canhoto (caixa), e Gilmar Bolla 8, Gira e Jorge Du Peixe (alfaias).

No geral, “Da Lama Aos Caos” é um álbum obrigatório para todos os tipos de ouvidos. Um mangue de ritmos e estilos que fez o mundo inteiro se antenar no Recife e voltar a curtir a fértil cena cultural da cidade.

https://www.youtube.com/watch?v=X61kCa3DZAY

Chico Science e Nação Zumbi – Da Lama Ao Caos | #temqueouvir!

01. “Monólogo ao Pé do Ouvido”
02. “Banditismo Por Uma Questão de Classe”
03. “Rios, Pontes & Overdrives”
05. “A Praieira”
06. “Samba Makossa”
07. “Da Lama Ao Caos”
09. “Salustiano Song”
11. “Risoflora”

Chico Science e Nação Zumbi – Da Lama Ao Caos | #ouçaagora!