André Frateschi resgata a essência do rock brasileiro em show no SESC Mariana

André Frateschi resgata a essência do rock brasileiro em show no SESC Mariana

23 de abril de 2018 0 Por Hanilton Medeiros

Depois de ser a voz da Legião Urbana na turnê Legião XXX anos, André Frateschi participou do programa Popstar, da TV Globo, saindo vencedor. Na sequência, participou do Rock in Rio em uma maratona de 14 shows no palco Rock District e agora segue em turnê pelo Brasil com seu show BRock is Back – Tributo ao Rock Nacional, e foi esse o show que o artista apresentou no Teatro do SESC Vila Mariana.

A abertura do show, com “Perfeição” da Legião Urbana, com somente a banda no palco, fez com que o público presente pudesse prestar mais atenção nessa poderosa letra, como várias de Renato Russo que circularam pelo repertório. Depois vieram “Ideologia”, “Núcleo Base”, “Primeiros Erros” e “Sonífera Ilha”. Todas hits da década de 80, de longe a melhor fase do rock brasileiro. Cazuza, Ira!, Titãs e outros nomes potentes marcaram presença.

Miranda Kassin foi a convidada da noite e dividiu os vocais com o marido na canção “Fame”, clássico de David Bowie, que não poderia deixar de estar presente, mesmo sendo um repertório de rock nacional. O camaleão do rock é homenageado por André Frateschi já tem uns bons anos, através do seu projeto Heroes.

“Pra Começar”, canção da cantora Marina Lima, foi interpretado com muita garra por Miranda Kassin. Ela fez jus à sua participação especial e ainda dividiu os vocais em “Meninos e Meninas”. A canção abriu um trecho do show dedicado à Legião Urbana. Ainda tivemos “Tempo Perdido” e “Ainda é Cedo”.

O bis começou com “Hey Jude” dos Beatles, com o coro formado por uma platéia calorosa, que nesse momento já havia deixado suas respectivas poltronas. Pra fechar com chave de ouro: “Que País é Este?”, outro clássico da Legião. A canção lançada em 1987 provou o quanto sua letra é atual e poderosa.

O show apresentou a força do Rock Brasileiro, por mais que, atualmente, não esteja em sua melhor fase, tem um passado glorioso que pode, e deve, ser resgatado e apresentado à nova geração. Boa sacada do André ao realizar isso e em conjunto apresentar algumas de suas canções de seu disco solo, intitulado “Maximalista”, entre elas a ótima “Todo Homem é uma Ilha”.

Fotos: Silmara Sousa.