5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Denis Romani, da Tiger Robocop 90

5 Pérolas Musicais escolhidas a dedo por Denis Romani, da Tiger Robocop 90

18 de novembro de 2016 0 Por João Pedro Ramos

Todo mundo tem seus gostos, preferências e, é claro, seus garimpos no mundo da música. Com certeza tem alguma banda ou artista que só você conhece e faz de tudo para espalhar o som entre seus amigos e conhecidos. “Todo mundo precisa conhecer isso, é genial!” Se você é aficionado por música, provavelmente tem uma pequena coleção pessoal de singles e discos que não fizeram sucesso e a mídia não descobriu (ou ainda vai descobrir, quem sabe) que gostaria que todo o planeta estivesse cantando.

Pois bem: já que temos tantos amantes da música querendo recomendar, o Crush em Hi-Fi resolveu abrir esse espaço. Na coluna “5 Pérolas Musicais”, artistas, músicos, blogueiros, jornalistas, DJs, VJs e todos que têm um coração batendo no ritmo da música recomendarão 5 músicas que todo o planeta PRECISA conhecer. Hoje, o convidado é Denis Romani, jornalista, editor do Skataplá e DJ das festas Tiger Robocop 90, Combo Hits e a novíssima Gigabyte.

Molotov“Que No Te Haga Bobo, Jacobo”

“Primeira faixa do primeiro álbum do grupo mexicano, “Donde Jugarán Las Niñas?” (1996). Você comprava o disco, apertava o play e já dava logo de cara com os dois baixistas mandando slaps ao mesmo tempo, seguido de uma das faixas mais porradas da carreira do Molotov. A letra é inspirada na história real de um escândalo de corrupção em uma das maiores redes de televisão do México, que favorecia o governo de situação em seus telejornais”.

Darius Rucker“Whagon Wheel”

“O ex-vocalista do Hootie & the Blowfish se debandou pra country music em sua carreira solo no início dos anos 2000 e logo estourou nos Estados Unidos, mas nunca conseguiu conquistar o público por aqui. Em 2013 ele chegou ao topo da parada country da Billboard com “Whagon Wheel”, que foi co-escrita por Bob Dylan em 2003. A música é considerada uma “Freebird” do gênero e é uma das campeãs de pedidos nos bares honky-tonk de Nashville”.

Bloodhound Gang“Ralph Wiggum”

“Uma das músicas mais simplórias da banda metida a engraçadinha que tem quase 30 anos de carreira sempre seguindo a mesma fórmula: uma mistura de rock, hip-hop e eletrônico com letras bem-humoradas (de gosto muitas vezes duvidoso). É o caso dessa faixa (do álbum “Hefty Fine” de 2005) que usa apenas frases literais que foram ditas por Ralph Wiggum ao longo de várias temporadas de Os Simpsons. Algum desocupado ainda teve a paciência de ir atrás de todas essas cenas e juntá-las em um videoclipe não-oficial”.

Os Paralamas do Sucesso “O Passo do Lui”

“O segundo álbum dos Paralamas de 1984 é praticamente uma coletânea de hits do trio, como “Óculos”, “Meu Erro”, “Ska”, “Romance Ideal”, “Assaltaram a Gramática” e “Me Liga”. E lá no final do lado B está escondida a faixa instrumental que dá nome ao disco. Um ska animado e dançante com baixo, guitarra, bateria, teclado e metais que não ficam devendo pra nenhum clássico jamaicano. Esse álbum, e essa música principalmente, mostram que os Paralamas tinham tudo para se tornar a maior banda de ska do Brasil, sem precisar se enveredar pra uma carreira calçada no pop-rock”.

The Spankers“Mas Que Nada”

“Uma prova viva do clichê “a música não tem fronteiras”: uma banda da República Tcheca regravando uma versão ska-pop para um clássico lançado pelo brasileiríssimo Jorge Ben Jor nos anos 60. A versão de estúdio foi lançada no primeiro álbum do Spankers em 2010, ainda com carismática Tereza Krippnerová nos vocais, mas no youtube é possível encontrar versões ao vivo com as duas vocalistas que vieram depois. Muitos desses vídeos, inclusive, gravados nas diversas turnês que a banda já fez pelo Brasil”.