“20th Century Boys” (1999) – Um mangá pra lá de rock’n roll!

Sinestesia, por Guilherme Gagliardi

20th Century Boys
Autor: Naoki Urasawa
Desenho: Naoki Urasawa
Lançamento: 1999
Editora: Shogakukan

 

Tava eu assistindo “Meteoro” (um filme brasileiro, muito bom por sinal) na sala quando meu irmão me chama no quarto pra me mostrar um mangá que ele tinha achado. “20th Century Boys” (sim, o nome é uma referência à música do T-Rex!) de Naoki Urasawa, autor de títulos importantes como “Monster”, é por excelência um quadrinho pop. Com uma série de referências musicais que vão muito além do título, o mangá se passa simultaneamente em tempos diferentes, contando a história dum grupo de amigos e explorando a dualidade entre a infância e a vida adulta, dum jeito lindo que lembra a nostalgia das músicas do Jair Naves.

Os personagens principais passaram a infância no verão de 69 numa “base secreta” (um esconderijo feito pelos moleques com galhos e folhas num terreno baldio), ouvindo música na rádio, vendo revistas pornográficas roubadas dos pais e lendo toscos quadrinhos de heróis. Além disso, escrevem um louco livro das profecias de como o mundo seria ameaçado por um grande vilão no futuro e como eles salvariam a todos, tornando-se os heróis. Já em 97 eles são caras normais que seguem suas vidas sem as grandes ambições “infantis”. Kenji, o protagonista, vive a década de 90 tendo abandonado já uma carreira dos sonhos como guitarrista e cuidando da filha da sua irmã que sumiu enquanto trabalha numa loja de conveniências. Mas pera, vamos voltar: lembram da parte do “livro das profecias”? Então: nesse mesmo ano de 1997, um cara começa uma seita que vai ganhando cada vez mais seguidores e usa como símbolo um desenho feito pelas crianças na base secreta. A partir daí, revelando aos poucos os personagens e as lembranças de cada um, eles vão se reunindo e criando um grupo de resistência contra o cara da seita, que incorpora o “vilão” do livro que haviam escrito. Eles, mais por necessidade que por vontade, incorporam o papel dos heróis com o qual tanto sonharam.

Tá dito então!

Contudo, apesar de parecer ser o mais clichê da jornada do herói, seguindo o mesmo modelo que “Senhor dos Anéis”, “Harry Potter” e outros, a história contrapõe as noções de heroísmo na infância e na vida adulta de modo particularmente interessante e que emociona por tratar a realidade caótica que o cara da seita criou com a simplicidade da inocência infantil que foi afinal, quem bolou tudo.

O que alguns anos não fazem pra pele, né, Kenji?
Pra introduzir a importância da trilha!

Quanto à trilha (por mais que talvez seja meio estranho pensarmos nesse conceito, uma vez que não é um vídeo), boa parte da história se passa no final dos anos 60 e começo dos 70 e é cheia de referências musicais. Na base secreta, o rádio fica sempre ligado e foi quando os personagens ouviam “Jumping Jack Flash” na FEN (Far East Network, uma rádio americana) que o Kenji começou a se interessar pelo rock e pela guitarra (o instrumento da sua adolescência).

Outras referências importantes são o Woodstock, dito como o evento onde pessoas movidas pelo sonho hippie invadiram o festival, Robert Jonhson, o bluseiro que encontrou o diabo numa encruzilhada da estrada, e um pontual Creedence Clearwater Revival que é mais um detalhe que qualquer outra coisa.

Todavia, o auge musical do mangá é a composição do Kenji. “Bob Lennon”, música que recebe o nome em homenagem a dois grandes nomes da hipongagem (Bob Dylan e Jonh Lennon), é um hino do heroi marginal japonês à vida em sua cósmica simplicidade, com uma letra que parece ser um poema do Drummond. O mangaká Naoki Urasawa chegou inclusive a gravar a música e tocou na expo de Tóquio de 2012.

Bob Lennon

O sol se põe, e em algum lugar,sinto o cheiro do Curry cozinhar
O quanto nós teremos de andar até chegarmos em casa?
Irão os croquettes da minha loja favorita
Ter o mesmo gosto?E esperando por mim?

A noite se opõe sobre a terra
E agora, estou correndo para casa.

Eles dizem que os ogros estarão rindo no próximo ano
E eu digo, deixe eles rirem como quiserem
Eu continuarei falando sobre os 5 ou 10 anos no futuro
E 50 anos depois, eu ainda estarei com você

A noite se opõe sobre a terra
E agora, estou correndo para casa.

Pode chover
Podem ocorrer tempestades
Lanças poderão cair
Então vamos todos voltar para casa
E agora, estou correndo para casa

A noite chega para todos
E todo o mundo
Está correndo para casa
Rezo para que
Esses dias
Continuem para sempre…

Bom galera, segue aqui em link o primeiro capítulo pra quem quiser ler online (juro que vale muito a pena!):

https://mangahost.org/manga/20th-century-boys-mh31897/1#1

Valeu! Espero que curtam!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *